quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

BEM TE QUER

.

Seja o tempo que for, eu só quero que teu caminho seja bonito. E por bonito, subtenda, completo. Não tente escapar às agruras, às escorregadelas, às ciladas, e não espere que as calçadas estejam sempre sinalizadas indicando o melhor caminho a tomar.
Se fizer sol, é lindo. Mas se fizer chuva, e frio, é bom pra lembrar. Você lembra? Todo mundo tem uma boa lembrança encharcada por um dia de chuva qualquer. E volte a meia tem haver com amor esta lembrança. Você ainda carrega aquela marca de criança? A saudade sempre alcança a gente. Quer a gente queira,  ou não. Então, nem tente escapar às recordações. Nem impedir seu coração de bater mais rápido frente àquela praça, ainda de madrugada quando fez cenário pra nós.
Aceite que a vida é bonita dos dois lados. Ou melhor, por todos os lados. Tudo, e creio que seja estranho, mas absolutamente tudo tem outros lados, somos espelhos quebrados, cacos de histórias infindas, que só fazem continuar e continuar, até o infinito, que nunca finda.
Toda beleza esteja ao alcance das tuas mãos. E daquele teu sorriso contido, vê se alarga este riso, e se diverte mais, se solta mais, e faz coisas loucas, experimenta, saltar de paraquedas, escalar umas montanhas, visitar um observatório, e olhar muito, e muitas vezes pro céu, para a lua que se faz cheia de beijos, e aponta logo uma estrela que é pra dar sorte, sempre, e que sempre será um lugar chamando por nós.
Descubra logo de uma vez por todas que a paixão é efêmera, acaba, se vai, se esvai feito a água daquela chuva que molhou os meus cabelos enquanto você tentava cantar. E dançar. Dance muito, viu? Levante a poeira, mas não passe rasteira nas coisas idas, porque, como diz o poeta, elas serão as mais queridas quando o tempo da neve, o branco tempo chegar.
Insista em querer. Insista em poder. Insista em ser o melhor todo dia, mas entenda de uma vez por todas, melhor é sempre um tempo futuro, e ao futuro só cabe esperar. Deixa pra lá qualquer coisa que te afaste do amor. Mesmo que para isso seja preciso recomeçar, e recomeçar e todo dia é um recomeço, então, só nos resta, dia após dia, RECOMEÇAR.
Torça pelo seu time, grite pela sua banda preferida, defenda as suas convicções, mas nunca perca a capacidade de mudar de ideia, de aceitar novas noções, e de alimentar alguma ilusão, porque tudo passa, só a beleza fica, escondida cá mais para dentro, e eu ia quase esquecendo de dizer que não me esqueças, porque passar pela vida de alguém é um privilégio sem par, ser seu par então, ainda que pouco te pareça, foi uma experiência daquelas que ainda me faz suspirar.
Por fim, mas nunca por último, colha flores. Dos canteiros da cidade, da casa da velha vizinha, de uma praça, de um jardim qualquer, e aceite muitos beijos desta que muito bem te quer.
 
*

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Nas nuvens

.
 
 
Então o amor chega. E nos agarra pelas ancas, e nos arranca do chão. É uma explosão.  Tudo muda. Outros sons. Novas cores. Acrescidos somos de percepção. Uma outra.  Abre-se uma nova sintonia, mais fina, mais linda do que se poderia supor nos nossos sonhos de um amor. Alcança-se as nuvens. Não há mais caminhos. Você já chegou! Este é o lugar, e ele se chama amor. Qualquer tarde é eternidade. Qualquer noite é céu estrelado. Qualquer bom-dia é canção. Qualquer evento é condição. E como bate o coração... Você conjuga alegria, prazer e o mais puro desejo de estar vivo. E ativo ,tudo ao mesmo tempo, livre de compromisso, solto como um cata-vento.
É um estado divino. Cabelos ao vento, quem vai lembrar de  documento quando o momento está protegido pelo amor? Viramos imortais, deixa pra lá os teus sais, agora somos iguais, e o tempo que se dane, a gente quer é que o amor se esparrame pelos ares, por todos os lares, enquanto a gente voa muito leve, muito estranho, tudo que quero é que o amor nos acompanhe, e, por favor, não reclame, se eu parecer uma poeta infame, que delira o amor em versos que parecem entrar em pane, o amor ainda vai se esparramar, se multiplicar e te acertar, em cheio, numa noite de Janeiro, quem sabe Fevereiro?, ou numa destas noites insones, e tudo vai parecer tão perfeitamente razoável,  meio sem lógica, eu sei, mas quer saber?  que se dane, hoje eu só quero saber das asas, e me soltar nos braços desse amor que eu nem sei se existe, mas que não desiste, e já cansou de ser triste e hoje vai voar. Pode apostar!
 
 
 
 
*

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Delicada seja a face de 2015...

 
 
 
Que 2015
revele-se
 em múltiplas e variadas
 fartas e delicadas
formas de
FELICIDADE
 
 
Feliz Ano Novo!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*