quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Tem que ser gentil com a ESPERA

A paciência nos leva mais longe,
mesmo quando tudo parece tão devagar.

*


Porque por mais que se corra,
_ e como corremos!, nada vai adiantar o
os ponteiros do relógio.

Tem que ter leveza.
Tem que ter coragem.
Tem que ser gentil com a espera,

por mais longa que ela seja,
e ela sempre é,

tem que tomar muito chá de esperança
pra aguentar esta dança de esperas.



*

sexta-feira, 31 de julho de 2015

16:31





"Quando eu era menino, os grandes, nas rodas de conversa que eu participava, viviam repetindo "antigamente, antigamente". Perguntei quando era "antigamente" e eles me deram respostas indefinidas, sem data certa. Agora eu sei: antigamente é um tempo que se foi, mas que SE RECUSA A IR DE VEZ E FICA DENTRO DA GENTE, atormentando o coração com saudade. Agora eu também falo do "antigamente"..."


[ professor Rubem Alves]



_ ando tão antigamente, ultimamente...


*

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Breve Ensaio sobre PAIXÃO

*


Não fazer sentido é a consequência do tempo. Passa o tempo, mas, muito mais rápido, esvai-se o sentido. Senão, qual o sentido de sentirmos paixão, por exemplo. Primeiro, constate-se que toda paixão é breve. Parecida com esta chuva de meteoros que deu-se nestes dias. De repente, surge uma chuva de estrelas por dentro, luzes que se acendem, química confirmando-se entre corpos. Um corpo acendendo as estrelas de outro corpo. Batem as referências de sedução. A cor daqueles lindos olhos, o formato alongado do rosto, a tez, morena, lisa, cheirosa, todas aquelas partículas-promessas de delícias que saltam pela boca do ser apaixonante, nos fazendo seres apaixonados.

Não faz sentido. Isso deveria durar exatamente uma E T E R N I D A D E.

O corpo sentir-se vivo. Pulsante. Exultante. Todas as dores do mundo escapam á paixão. Não há dor na paixão, exceto a dor de saber que é breve, que é efêmera, que é brasa, e a frustração já que oque se quer é um fogo eterno que não se acabe ao sabor do vento que traz as horas que levam embora a paixão.

Não faz sentido iludir-se com as promessas de que o amor será parecido com a paixão, porque, não será. Amor é amor. Paixão, é paixão. E paixão é infinitamente mais ardente do que o amor. O amor poderia, no melhor dos casos, ser uma combinação do tempo com os restos de brasas da paixão. Dá pra tocar sem se queimar, dá pra ser feliz, sem no entanto, jamais exultar. Os pícaros da glória de uma paixão são, sempre, a contramão.

A gente se perde nas artimanhas da paixão. E se perde porque quer. Se perde com a esperança de nunca mais se achar. Ou talvez o contrário. A gente se ache na paixão, e isso seja tão desesperadamente TUDO DE BOM, que perde o equilíbrio e cai, e perde e se perde, e acabou-se oque era doce.

Quantas paixões pode suportar um pobre coração... TODAS. Não haveremos de dispensar nem uma única chance, ainda que em muitas das vezes, tudo não passe de um ensaio à paixão. E ainda que um ensaio, valerá á pena. Não haverá pena sobre pena na tentativa do voo da paixão.

Todos os riscos compensam. E quanto mais o tempo passa, e quanto mais raras vão se tornando as possibilidades de esbarrar com aquele corpo que despertará tuas estrelas, ou, de provocar estrelas num corpo próximo e desejado, tanto mais valiosa vai ficando a memória, e em todo íntimo, o anseio de por mais uma vez, vê-la  chover em nós, a paixão.

É justo então pensar que nada faz sentido, que isso, da paixão não faz sentido porque, quando somos apenas jovenzinhos desprovidos de importância e consequência, desprovidos da noção de que o tempo passa, e que passa rápido  e carrega com ele o frescor e a força da nossa sedução, é que ela, a paixão, acontece, e, finalmente, quando parecemos finalmente preparados para mergulhar de cabeça, de corpo e alma, já não somos tão jovens, nem tão cheio de hormônios e de química suficientes para despertar paixões, de viver paixões, que é a chuva mais bonita de todas, a chuva de estrelas entre corpos, esta chuva chamada PAIXÃO.



*

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Instantes Haicai

estrela caindo
rastro azul no céu
janela do pinel




*************


                                  janela aberta
                             bate asas beija-flor
                                 anúncio de amor


                                      ******************


lá vem o vento
a folha estremece
cair não apetece


***************


                                                 o sonho foi breve
                                          culpa do despertador
                                              que não me esquece


                                   ********************


         pingos na calçada
chuva deixa sombrinha
       mal-humorada


    ****************
       

Pergunta


*



O que será
que se passa
para além
do território
das nossas
tantas
CERTEZAS


[interrogação]






*

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Por um breve ínterim

.

 
 
A verdade é que tudo demora muito. E toda demora, é uma prisão. Nela, você entra, e acha que nunca mais vai embora. Às vezes, fica lá pra sempre. Mesmo que não. Você me ensinou a demora. Você começou isso em mim. Só que eu abri mão das lamúrias, porque mesmo presa nesta demora, a gente se encosta, por dentro. E isso me abre uma porta pro céu. Não perco de vista teus sinais, só que deste lado de cá só há uma alternativa, e ela é prosseguir. Ainda que sem sair do lugar. Todo mundo pergunta por novidades, como se novidades fossem possíveis assim, todo dia... Não rola. Rola coisa boba, e rola de deixar rolar a alegria pelas coisas tolas, tipo aquele chapéu vermelho que eu comprei e nunca usei, mas amei comprar. Eu amo um monte de coisa apesar de... É importante que você saiba que alguns dias até são bons. Muito bons mesmo! Não que a mente se esvazie da ausência tua, é só que ela acostuma, e a gente vai mudando de cara, mudando de jeito, mudando de boniteza, se assusta e depois do susto se acostuma,  e envelhecer passa a ser um pouco mais doce que é pra poder ser apontada como uma boa velhinha mais logo ali, na próxima esquina. Educo meus sentidos para não querer demais. Isso acalma. O tempo tem sido gentil desde que me assentei, desde que aceitei que não serei metade de nada que pensei, desde que abri mão da chateação de te ter passeando e rondando minhas lembranças e  transferi você da mente para o coração. Sem conexão. Porque a terra que forma a mente é feita de memórias, e elas são estranhas, alternam-se conforme o dia, a emoção, a raiva, ou a alegria, enquanto que no coração o domínio extrapola a razão, e nos conecta por mistérios cósmicos. Quem existem. E resistem bem. Deve ser a tal da mente universal que nos permite acessar um fluxo genial, superior, onde a prisão é aberta e a gente pode dar cambalhotas e flutuar e dançar e se reconhecer em beleza, em leveza, ares de plena delicadeza. Meu coração é tua guarida. Há tudo aí dentro para que você passe bem, todos os detalhes da mais pura delícia.
 
Li certo dia algo assim:
"a gente risca e vem o destino e rabisca"
 
Território estranho. parece que é , mas o comando não é nosso. Além das forças já conhecidas, ar, fogo, água, terra, há o Destino, seja lá o traço de quem for, há. Então a gente tem que aprender a  improvisar. Improvisar é uma coisa que a gente tem que fazer todos os dias na vida real, que é pra não perder o sabor, que é pra manter o amor, e afastar toda dor, e continuar. Ainda que pareça estranho. Ainda que pareça insano abrir mão. O que nos resta, senão?... Ainda  que a demora doa, lateje sem ter  fim, ainda que pareça que isso nunca terá fim , e mais  ainda que pareça que você só exista assim, bem cá dentro de mim, e que  palavras tão lentas não revelem nada, dentro deste breve ínterim.
 
 
*

quinta-feira, 4 de junho de 2015

FICA

.

 
 
Quantas vezes a gente já não teve aquela vontade de dizer:
_ FICA
 
fique um pouco mais! Não vá se embora ainda. Tem um milhão de coisas que ainda não foram ditas. Tantas coisas que não foram feitas. Tantos abraços que não foram dados. Tantos instantes que ainda nem foram sonhados, quanto céu estrelado, pra ver assim, bem do seu lado, sob um luar iluminado, tem o outono e o meu cabelo molhado,  o teu cheiro adorado,  e mais esse desejo abestado de querer encompridar as horas, que é pra  ficar bem colado, dentro de um silêncio pronunciado de suspiros, olhando  aquela frase no alambrado do muro  do jardim ao lado, damos aquele olhar alongado, feito o
olhar amedrontado de uma gato escaldado, lembro de você ter perguntado, pra que medo da água fria, dentro desse lago afogueado?, lânguidos e platônicos, somos versos entrecortados, há que se estar conformado, é  até catatônico esse nosso folhetim,  mas oque podemos fazer se ele nasceu assim, começo sem fim?..._ aí de você se partir de mim, sem que eu possa dizer, quantas vezes eu tiver afim, aquela frase do muro ao lado, cê já tá até acostumado, ao meu chamego que diz:
 
_ fica!
não sai de perto de mim!...
 
 
*

quinta-feira, 28 de maio de 2015

àguas de estrela, amor, esparramar

.
 
 
Das coisas mais bonitas dentro da criação, inúmeras elas são. É tanta beleza, mais é tanta beleza, que a gente até se acostuma, e desacostuma de olhar. De prestar atenção e conceder à elas a devida devoção. Distração? Sei que são  tantas belezas, e algumas são de natureza tão maravilhosa, que é preciso falar. EXISTEM OS AVÓS.  Avô. Avó. Tem coisa mais querida na vida do que ter o privilégio de termos nossos avós? Geralmente eles já são velhinhos, mas é tão interessante que apesar disso, olhando dentro daqueles olhinhos, a gente se vê, a gente vê uma alegria que só existe dentro dos olhos deles, uma coisa juvenil, quase infantil, talvez reflexos de uma vida à mil, que vão, tão sábios, se  acostumando à ideia de uma vida nova, que parece, e essa é uma queixa!, que em breve será.  Breve é a vida dos vovozinhos. é fato. Meus queridos, os quatro, e mais meus nonos, todos gente de um bom humor estrondoso, já se foram, sem grandes arroubos, botar seus pezitos inquietos para bailar os salões do céu. Porque vô e vó não morrem, eles simplesmente vão pro céu.  A vó do meu amigo poeta, juntou-se à eles dias desses. 94 pétalas em flor. Rosa branca de amor. Todo dia lá se vai um velhinho, sem que a gente realmente perceba o quanto de beleza arrebata-se para além de nós. Se eu pudesse modificar alguma coisa nas minhas ações de vida seria, ficar mais perto deles. Fiquei perto. Até bem perto. Mas hoje, lembrando daqueles seres tão especiais, penso que podíamos ter tido mais. Eu queria mais. Muito mais. Nenhum amor no mundo todo se compara aqueles olhos em par. Olhos todinhos de amar.
 
Algo, no entanto, fica. Como se fôssemos suas sementes. Sementes de todo amor que eles conseguiram cultivar. Creio que lá de cima, nos regam. Nos regam com águas de estrela, torcendo para que a gente se multiplique, em amores, e continuemos amor, a se esparramar. Amar.
 
 
*

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Como preencher vazios

.





RECEITA PARA PREENCHER VAZIOS




Fazer.



Acontecer.
Tecer os grandes fios da vida,
para florescer.
É só isso.
Construir.
Ir.
Fluir.



[Lianto Segreto]









*

quinta-feira, 14 de maio de 2015

"O verbo tem que pegar delírio"

.
 
No descomeço era o verbo.
Só depois é que veio o delírio do verbo.
O delírio do verbo estava no começo, lá onde a
criança diz:
"Eu escuto a cor dos passarinhos".
A criança não sabe que o verbo escutar não funciona
para cor, mas para som.
Então se a criança muda a função de um verbo, ele
delira.
E pois.
Em poesia que é a voz do poeta, que é a voz de fazer
nascimentos_
O verbo tem que pegar delírio.
 
 
[do livro das Ignorãnças, Manoel do Barros]
 
 
 
*

Uma pena da asa do poeta







"Passei anos me procurando
 por lugares nenhuns
Até que não me achei
_ e fui salvo."


do inesquecível Manoel de Barros




*

quarta-feira, 6 de maio de 2015

FELIZ ANIVERSÁRIO, BE!

Existem muitas formas de se presentear uma pessoa, muitos motivos, muitas datas, e às vezes, até, nenhuma data ou motivo comum. Todo mundo gosta de presente. Quem diz que não, acho que mente. Todo mundo é alguém para alguém, e só o bem querer já é um presente. Todo mundo faz aniversário. E lembra da sua criança. De dentro. Porque a gente deixa de ser criança e até esquece que adora um presente. E tem muitos tipo de presentes. Aqueles que a gente compra, escolhe com carinho. E existem presentes que a gente faz. Das mais diversas matérias-primas. Tecidos. Madeira. Perfumes. Palavras. Bem querer.


Sou aniversariante do mês de Maio. Signo de Touro. Super sensível e adoro presente. Ganhei alguns nesta data, mas o mais especial de todos, feito de palavras altamente mágicas, saídas de uma caixa muito especial, me deixaram especialmente feliz, porque além de me terem sido presenteadas por minha irmã de coração, foram feitas artesanalmente para mim, e significaram muitíssimo.


Superlativos são pouco para dizer o quanto significaram. Agradeço demais, querida Vanessa, e as guardo aqui, para que inspirem mais pessoas, e para serem eternizadas como são os nossos laços de amizade.


EIS:


"Be, que a cada ano você tenha mais entusiasmo pela vida.
Sinta-se grande e extremamente positiva.
Muita fé para acreditar na realidade de outras possibilidades.
Esteja em Deus, só assim continuamos eternamente vivos.
Um beijo e todo energia boa para você, que é tão especial
para mim."




Muitos beijos,
e obrigada de coração.


*

sexta-feira, 17 de abril de 2015

A LIGA

.

 
 
COINCIDÊNCIA
é aquele negocio que acontece
pra dar liga,
 
vê se acredita e,
 
 
_ SE LIGA!
 
 
[são zilhões de acontecimentos colidindo simultaneamente no universo em milésimos de segundos, a probabilidade de haver uma coincidência é rara, então, há que se considerar...]
 
 
 
*

quinta-feira, 26 de março de 2015

LOOP

.

 
Não há  salto
sem vertigem.
 
Não há mudança
sem  salto.
 
Não há vida
sem emoção.
 
 
 
revisitar horas. ampliar fontes. abrir. escancarar. proteger. contradizer. insistir.  SER
 
 
 
 
*

quarta-feira, 4 de março de 2015

A palavra que aproxima



PALAVRA

Para o sentido da pele, palavra para virar tato,
pra ter o alcance do abraço,
 
tem que revelar,
tem que desnudar,
tem que ultrapassar
 
artifícios, artimanhas, o orgulho, as  conveniências,
as arrogâncias em suas intermináveis reentrâncias,
 
então ela, a PALAVRA, tem de  ir direto ao ponto,
nada de vírgulas, sem  reticências,
ela tem que propiciar o encontro,
tocar o ponto G do encanto...
 
Uma palavra pra arrepiar a pele
tem que sair de boca úmida,
ver de  pernas bambas, bate bate bate coração,
pudores?, caídos ao chão,
 
PALAVRA
 
tem que ser limpa, leve ou dura,
nua, em pelo, ter soltos seus cabelos,
ao vento, todo o tempo, todo o mundo,
espaço,
palavra pra virar tato
_ TEM QUE SER DITA,
 
gritada  sem medo de queimar a fita,
sem  tratos, sem tretas,
dizer e tocar tem que ser
um combinado
entre o amor e oque é verbalizado,
 
pode dar errado?
claro!,
dizer é arriscado,
pode dar tudo errado,
 
ficar pouco entendido,
mal explicado,
é muito.muito complicado,
 
amor, palavra, poros dilatados,
pelos arrepiados, sentimentos
confrontados,
a viver!, essa armadilha que nos
desafia,
dia.a.dia.todo.santo.dia
 
à palavra certa
está sempre à espera de ser dita,
de ser compreendida e ser capaz
de dizer
de ouvir
de possuir
 
alguma coisa que faça sentido
e aproxime.

A palavra precisa aproximar. Senão, melhor nem ser dita



*
 


sábado, 14 de fevereiro de 2015

Por isso rima!

.
 
 
TEIMOSIA
nada mais é
que
 
um menino
ou
uma menina
 
que insistem
em sua ALEGRIA
 
 
 
*

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Saber é pouco...

.

De
um andar
para
outro
 
tem muito mais
do que a gente
ousa
 
imaginar...
 
 
 
*

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

BEM TE QUER

.

Seja o tempo que for, eu só quero que teu caminho seja bonito. E por bonito, subtenda, completo. Não tente escapar às agruras, às escorregadelas, às ciladas, e não espere que as calçadas estejam sempre sinalizadas indicando o melhor caminho a tomar.
Se fizer sol, é lindo. Mas se fizer chuva, e frio, é bom pra lembrar. Você lembra? Todo mundo tem uma boa lembrança encharcada por um dia de chuva qualquer. E volte a meia tem haver com amor esta lembrança. Você ainda carrega aquela marca de criança? A saudade sempre alcança a gente. Quer a gente queira,  ou não. Então, nem tente escapar às recordações. Nem impedir seu coração de bater mais rápido frente àquela praça, ainda de madrugada quando fez cenário pra nós.
Aceite que a vida é bonita dos dois lados. Ou melhor, por todos os lados. Tudo, e creio que seja estranho, mas absolutamente tudo tem outros lados, somos espelhos quebrados, cacos de histórias infindas, que só fazem continuar e continuar, até o infinito, que nunca finda.
Toda beleza esteja ao alcance das tuas mãos. E daquele teu sorriso contido, vê se alarga este riso, e se diverte mais, se solta mais, e faz coisas loucas, experimenta, saltar de paraquedas, escalar umas montanhas, visitar um observatório, e olhar muito, e muitas vezes pro céu, para a lua que se faz cheia de beijos, e aponta logo uma estrela que é pra dar sorte, sempre, e que sempre será um lugar chamando por nós.
Descubra logo de uma vez por todas que a paixão é efêmera, acaba, se vai, se esvai feito a água daquela chuva que molhou os meus cabelos enquanto você tentava cantar. E dançar. Dance muito, viu? Levante a poeira, mas não passe rasteira nas coisas idas, porque, como diz o poeta, elas serão as mais queridas quando o tempo da neve, o branco tempo chegar.
Insista em querer. Insista em poder. Insista em ser o melhor todo dia, mas entenda de uma vez por todas, melhor é sempre um tempo futuro, e ao futuro só cabe esperar. Deixa pra lá qualquer coisa que te afaste do amor. Mesmo que para isso seja preciso recomeçar, e recomeçar e todo dia é um recomeço, então, só nos resta, dia após dia, RECOMEÇAR.
Torça pelo seu time, grite pela sua banda preferida, defenda as suas convicções, mas nunca perca a capacidade de mudar de ideia, de aceitar novas noções, e de alimentar alguma ilusão, porque tudo passa, só a beleza fica, escondida cá mais para dentro, e eu ia quase esquecendo de dizer que não me esqueças, porque passar pela vida de alguém é um privilégio sem par, ser seu par então, ainda que pouco te pareça, foi uma experiência daquelas que ainda me faz suspirar.
Por fim, mas nunca por último, colha flores. Dos canteiros da cidade, da casa da velha vizinha, de uma praça, de um jardim qualquer, e aceite muitos beijos desta que muito bem te quer.
 
*

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Nas nuvens

.
 
 
Então o amor chega. E nos agarra pelas ancas, e nos arranca do chão. É uma explosão.  Tudo muda. Outros sons. Novas cores. Acrescidos somos de percepção. Uma outra.  Abre-se uma nova sintonia, mais fina, mais linda do que se poderia supor nos nossos sonhos de um amor. Alcança-se as nuvens. Não há mais caminhos. Você já chegou! Este é o lugar, e ele se chama amor. Qualquer tarde é eternidade. Qualquer noite é céu estrelado. Qualquer bom-dia é canção. Qualquer evento é condição. E como bate o coração... Você conjuga alegria, prazer e o mais puro desejo de estar vivo. E ativo ,tudo ao mesmo tempo, livre de compromisso, solto como um cata-vento.
É um estado divino. Cabelos ao vento, quem vai lembrar de  documento quando o momento está protegido pelo amor? Viramos imortais, deixa pra lá os teus sais, agora somos iguais, e o tempo que se dane, a gente quer é que o amor se esparrame pelos ares, por todos os lares, enquanto a gente voa muito leve, muito estranho, tudo que quero é que o amor nos acompanhe, e, por favor, não reclame, se eu parecer uma poeta infame, que delira o amor em versos que parecem entrar em pane, o amor ainda vai se esparramar, se multiplicar e te acertar, em cheio, numa noite de Janeiro, quem sabe Fevereiro?, ou numa destas noites insones, e tudo vai parecer tão perfeitamente razoável,  meio sem lógica, eu sei, mas quer saber?  que se dane, hoje eu só quero saber das asas, e me soltar nos braços desse amor que eu nem sei se existe, mas que não desiste, e já cansou de ser triste e hoje vai voar. Pode apostar!
 
 
 
 
*

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Delicada seja a face de 2015...

 
 
 
Que 2015
revele-se
 em múltiplas e variadas
 fartas e delicadas
formas de
FELICIDADE
 
 
Feliz Ano Novo!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*