terça-feira, 21 de outubro de 2014

... é TREZE, CORAÇÃO!

.

Na  minha casa, a gente aprendeu desde cedo que é preciso confiar nas pessoas. Mas sempre com critério. Com análise. Com inteligência. Meu avô sempre dizia: _ Não quero saber de neto seguindo rebanho, vocês têm cabeça, e cabeça foi feita pra pensar.

Na minha casa, a gente aprendeu desde cedo também, que para se ter uma omelete, é preciso que se quebrem os ovos. Ou que se jogue o jogo. Em ambos os casos, a gente aprendeu que, se tem omelete, todo mundo tem direito de comer. Ou todos comem, ou ninguém come, simples assim. E isso inclui TODO MUNDO. Sem exceção ou privilégios, na mesa e no jogo da vida.

Na minha casa a gente aprendeu que não basta ter uma grande inteligência, é preciso que ela vá além e seja emocional. Que a gente se comova com as pessoas, todas as pessoas, e coloque as mãos na obra ao invés de reclamar, ou postergar, ou se acovardar.

Nem todo mundo desta casa grande que era a casa do meu avô, captou a lição, umas foram pra cá, outros foram pra lá, mas quem ficou do lado de cá, aprendeu que respeito é uma palavra chave, indispensável, e que honestidade a gente reconhece porque se reconhece nela.

Na minha casa, a gente aprendeu e muito o valor do que é GRATIDÃO. Tinha até uma palavra que a gente aprendeu como repgunante: VIRA COXO. Você podia agir de qualquer forma para se testar na vida, mas sempre foi, veementemente proibido ser uma pessoa ingrata, uma pessoa que vira as costas para quem tanto ou pouco fez por nós. Saber reconhecer o esforço, a generosidade, as dádivas, ou oque quer que fosse, _ aprendemos, faz do caráter de uma pessoa algo reconhecível como bom.

A gente aprendeu que não há mérito em vencer com desonra. Que não há mérito nas manipulações da verdade. A gente aprendeu que tem que ser bom para todo mundo. Que não se conta vantagem. Que não se marginalizam pessoas, por credo, raça, cor, preferência, política, por nada, porque somos todos seres humanos passíveis de acertos, de erros, mas que tomar porrada sem reagir é burrice. Aprendemos que temos direito a uma posição, e podemos defendê-la, mesmo sob risco de marginalização.

A gente aprendeu sobre coragem e sobre valentia. Sobre homens e mulheres serem seres de Deus, sem um nem outro ser superior ao outro, e que às mulheres cabe um extra de carinho, respeito e consideração. A gente aprendeu que tem que ser elegante, que tem que saber se comportar, que tem que ter carinho com as pessoas, que tem que saber falar as coisas, que tem que saber ouvir, que tem que ser capaz de ouvir opiniões contrárias sem se ofender e sem perder as convicções e a ternura 'jamás'.

A gente aprendeu um monte de coisa. Muitas precisam ser revisadas minuto à minuto desta vida, porque é dureza fazer certo. A gente é imperfeito pra caramba, mas tem horas que não deveria ser permitido errar. Meu avô sempre se posicionaou politicamente. Falar sobre os caminhos políticos de nossa cidade, estado, país, sobre o mundo, sempre foi uma prática em casa. Mas com a mente bem aberta, o mais ampla possível, e buscando as mais variadas fontes, porque só com bastante conteúdo a gente é capaz de chegar perto da verdade.

E por ter tido o privilégio de ter tido um avô como o meu, ter tido o privilégio de estudar, de aprender, de saber por a cachola pra funcionar e pensar por ela mesma, por respeito e consideração á tudo que me foi transmitido desde o dia que nasci é que venho até este espaço onde coloco minhas opiniões mais variadas e declaro delicadamente que voto na Presidenta Dilma com muito sossego e alegria. Ela me faz lembrar a casa. A grande casa do meu avô. Ela me faz lembrar família. Luta diária. Olhos atentos. Coração valente e amor por toda gente, seja lá quem for, com ela eu aprendo que para ser uma grande mulher há que se ter muito mais do que os predicativos básicos, há que ter uma enorme capacidade de gerar amor,

e amor é oque eu deixo nestas linhas, amor para os que comungam destes pensamentos, e sobretudo amor aos que discordam dele, porque caros amigos, tudo que a gente quer é um país melhor, mais direitos e alegrias para todos, e que a sua convicção pode ser diferente da minha, mas no final, oque a gente quer é que a felicidade seja geral.

Boa Sorte, à todos. Por um país sem exceção.!



*

6 comentários:

Ricardo Monteiro disse...

"Declaro delicadamente que voto na Presidenta Dilma com muito sossego e alegria" me parece um sonho distante... Porque né, no fundo só estamos votando no menos
pior. Ao invés de imparcialidade,
vejo uma relação amorosa e apaixonada de uma pessoa que sinceramente, se recusa a ver que a melhora que nós temos hoje é
nada perto do nosso potencial.
Queria eu, ter essa relação de amor por qualquer que fosse o
candidato. Eu acabo de ler
uma carta de amor, não é
mesmo?

Parabéns pelo otimismo.
Bjos

Be Lins disse...

OI, Ricardo.

De gato, estamos longe do nosso potencial.
Temos 514 anos de história, e apenas alguns, mais precisamente 12 de anos de acertos, tentativas e uma real disposição de fazer alguma diferença, diferença esta
que tive a sorte de presenciar áo longo da minha vida, e de muitas pessoas que conheço que efetivamente melhoraram suas vidas com trabalho e com as condições apresentadas por este governo.

Agradeço seu comntário,
e por ter observado o teor amoroso deste post. Mas não se iluda, não são palavras ingênuas:
_ é óbvio que a política é um jogo onde se sujam as mãos, existe mais que um poder vigorando no mundo, neste país, interesses covardes de benefícos egoístas, mas saber transitar por toda esta lama que impera à séculos, e ainda assim conseguir realizar alguma coisa principalmente à quem mais precisa para mim, tem grande valor.

Muito amor pra você!

Be


*

Pipa. A Pipa dos Ventos. disse...

Querida Bê,

Se confirmada, a vitória de Dilma Rousseff será a maior vitória da democracia. Desta vez, sobre o poder da mídia.


Sejamos otimistas.

Te gosto.

Tua, para sempre, Pipa.

A primeira estrela disse...

Uma mulher guerreira que trás nas costas uma vida farta de superação, guerrilhas, uma ditadura militar e a sede de mudar um país que nunca mudou.

Estamos juntas, Be.

Beijão.

Joao disse...

be que bom estamos juntos VENCEREMOS!!!
abraço forte :)) levei pro CHEbola PAZ
_/\_ Namastê

Cati Barros disse...

Perfeito, Be!
Como não seguir essa mulher guerreira que é a Dilma! Ingenuidade é pensar que o Brasil vai melhorar num estalar de dedos... Acredito sim que o Brasil está começando a entrar nos trilhos. Nos últimos 12 anos tivemos um "empurrão" daqueles... precisamos dessa continuidade.
É 13 no Coração!