quarta-feira, 4 de junho de 2014

NA REDE

Gosto de vir na rede. Tem muito barulho, mas é tudo silencioso. Parece um ninho, ás vezes. Um ninho que me liga ao mundo. Eu ligo, ou desligo, na hora que eu quiser. Seria bom poder ligar ou desligar certas coisas na vida. Tipo, pessoas, sentimentos, momentos. Às vezes a gente mesmo podia se ligar mais, ou se desligar por um tempo. Só pra dar um tempo... A rede é assim. Liga ou desliga. A gente liga no virtual que é pra dar um tempo no tempo real. Viver ficou duplamente desafiante. Ser real e ser virtual. Porque nem vem dizer que é a mesma coisa, porque não é. Não é, mesmo!

Tem vezes que a rede parece um ninho. Noutras, promoção. Aprendi que promoção não é muito legal. Lá estão as coisas que ninguém quis, aí abaixam o preço, pra ver se barateado, interessa alguém. Às vezes a gente se sente uma espécie em promoção. Uma coisa que ninguém quis. Aí a gente vai se barateando, se desvalorizando, cruzes!, nem é por aí que quero ir, queria só dizer alguma coisa pra alguém, que na verdade nem sei ao certo quem, e, por acaso isso importa? Importa pra alguém?

Bom mesmo é quando a gente acha a conexão certa. Na rede e na mente. Você abre a net e pode ir para qualquer lugar no mundo. Olhar quem você quiser. Basta para tanto digitar o nome no Google. E o universo se abre. Como na mente, a gente pode pensar sobre oque quiser, e digitar lá: 'Uma noite em Paris'. Em Paris estarei. E posso até me dar ao luxo de colocar ao meu lado quem eu quiser. E as falas. E os gestos. E tudo oque der na telha. É mágico. Mas nem sempre a gente usa do jeito certo. Equívocos acontecem...

Já na vida, é mais complicado. Você não pode alterar a órbita só porque quer porque quer. A vida tem suas próprias regras. Entrelaçadas. A gente só pode mesmo é tentar pensar bem. Pensar bem é uma coisa que faz bem. E rezar. Se conectar com algo maior. E torcer. E fazer planos. E beijar as pessoas no pensamento quando não for possível estar junto. E sentir saudades. E lembrar de algo bom. E viver. E se ligar á rede. E navegar. E descobrir que talvez, seja igual pra todo mundo no mundo:

_ tem dia que a gente parece estar na xepa, em outros, em promoção, mas tem muitos dias em que o carinho compensa tudo isso. Venha ele de onde fôr.


*

Nenhum comentário: