segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Transbordar

.


Não sei se faz muito sentido falar de amor. Conheço quem prefira os gestos. Não lhe tiro as razões por tal preferência. Dizer que ama é a mesma coisa que amar? O que vem primeiro, o gesto ou a palavra? O mar, por exemplo, por amor, não transborda, e com isso, nada precisa falar, existir sem transbordar é, sem dúvida, uma grande prova de amar. Vale lembrar os peixes que também não falam mais têm vida amorosa animada e dançante. Nadam em vez de falar. Nada é a fala. Mas oque eu posso fazer além de falar? Tenho vício por palavras. Sonho palavras. Amo palavras. Desenho palavras. Rabisco palavras. Brinco palavras e... Escrevo. Escrever pra mim é tipo nadar, quando escrevo viro peixe que nada num oceano que transborda sem transbordar. E assim eu amo. Se não transbordo, é só pra não te invadir demais.


*

2 comentários:

Tallita Monteiro disse...

Nossa amei...amar as palavras e descrever o amor através dela é a forma mais perfeita de exibir tal sentimento!

bjss

z i r i s disse...

Foi a escrita mais delicada que tive o prazer de ler, sobre amor, nos últimos tempos. Emocionadíssima.


Beijos Be.


Ziris