quinta-feira, 6 de setembro de 2012

DIAS

.


Os dias nascem novos, mas nascem muito antigos também, carregados de reminiscências dos dias idos, e fertilizados pelas sementes que poderão vingar,

preliminares do que será lembrança,
  felizes, ou não...

um novo dia é o movimento religioso dos segundos que sonham em marcar a qualidade do dia amorosamente e doce,
para que quando antigo, se mantenha vivo no percurso conhecido dos suspiros latejantes daquilo que foi muito mais que vivido,  foi percebido em todos os sentidos
como um campo de estrelas que não se cansam de surgir e saltar aos olhos, ou feito o misto de improvável e visível que a gente sente quando olha a lua e sabe que todos os olhos que amam ali se encontram, numa hora em que apenas nos perguntamos:
_ onde eu poderia ser mais feliz, senão, justamente, AQUI?



Então o dia termina, e lá longe, no portal que abriga as chegadas e partidas dos novos e velhos dias, quando nossos olhos se fecham em sonhos e podemos olhar nos olhos de Deus, que o dia se faz prece e agradece a divina orquestração que nunca nos deixa de fora  das suas ' mil bondades de amor'.


*


2 comentários:

Rick disse...

A rotina de toda dia, o dia a dia passa, a procura do acaso de um bom dia.

E a gente espera, que algo surpreenda, ou que o dia seja diferente. Sei lá.

Mais é a vida. "_"
Bjws moça, até breve.
• Sem Guarda-Chuvas •

Be Lins disse...

Até breve, Rick.

um beijo muito especial pra você!

(obrigada!)