domingo, 1 de julho de 2012

JAMAIS

.


É que ao sentir o agonizante arrebatamento de uma manhã que nasce
ocorreu-me em agonia de amor que a IMPOSSIBILIDADE é como
se se quisesse atingir o que no entanto seria POSSÍVEL - se ao menos
fôssemos outros. E o mais estranho - meditei olhando a enorme folha
quieta no chão - é que somos os outros de nós mesmos.
Só que - jamais, jamais, jamais.


_ Das cartas entre Fernando Sabino e Clarice Lispector


*

3 comentários:

JasonJr. disse...

mais já!

Pipa. A Pipa dos Ventos. disse...

Bê,

Hoje acordei meio Jane Austen, sabe...

De suas lições, esta passagem:

"Devo ater-me a meu próprio estilo e seguir meu próprio
caminho. E apesar de eu poder nunca mais ter sucesso deste modo, estou convencida de que falharia totalmente de qualquer outro."


Austen, Jane.

Bê,
Procuro desesperadamente por mim. E não vou parar até que eu me encontre.

Intimidadora. disse...

Saudade daqui.