quinta-feira, 26 de abril de 2012

Mínimos Detalhes



Ando muito bucólica ultimamente, seja lá oque isso queira dizer exatamente. Do muito que já sou simples, vou simplificando-me cada vez mais. Não é muito excitante, não. É até meio monótono, embora desafiante. Você tem que encontrar. Tem que conseguir ver algo que seja maior onde ele, o maior sentido reside: nos menores detalhes. Tento.  Hoje vi uma cena legal. Uma moça estava tentando estacionar o seu carro numa vaga estreitíssima. Eu disse tentando, já que conseguindo não era exatamente o caso. Foi quando surgiu um senhor de bicicleta, usando uma pólo listrada e uma barba muito bem aparada e branquinha se oferecendo para ajudá-la. Timidamante, ofereceu-se. Aliviada e ao mesmo tempo espantada, ela aceitou. Ternamente e com toda a calma desse mundo ele a orientou: "um pouco mais pra frente, isso, nivela direitinho, isso, perfeito". Inacreditavelmente o carro  coube direitinho na estreita vaga. De forma muito afável a moça agradeceu, ao que o senhor sorrindo-lhe disse que fora um prazer. Sem mais delongas e com um aceno elegante de cabeça, afastou-se. Como eu estava de longe, pude observar aqueles segundos que sucedem uma cena. Quando os protagonistas ficam sós. Eles estavam rindo! Nada de gargalhada, mas um riso de alma que ficou muito perto de outra alma. Parecia que pensavam:
_ Caramba! que senhor querido! Perder o tempo dele só pra me ajudar assim, do nada. E tão gentilmente... Com certeza eu teria batido no carro da frente e no detrás se insistisse na vaga, e no entanto, vejam só!
E mais alguns segundos a detiveram dentro daquele maravilhamento tão simples de ter tido a atenção de um doce  estranho.
Olho então para o senhor que segue seu caminho em sua bike possante e quase o vejo falar:
_ Ah! essas meninas de hoje. Dirigindo essas máquinas tão brutas que nem combinam com sua delicadeza. Deveriam zanzar por aí em carruagens feito princesas que são. Onde foram parar os cavalheiros que esqueceram disso?...
E aí, foi a minha vez de falar:
_ Estão pedalando suas bicicletas, feito príncipes em seus cavalos brancos, com suas barbas branquinhas e bem aparadas, lembrando que a delicadeza existe, e que com muita lapidação, a gente quase chega lá.

é isso! Muito simplesmente isso!

*

6 comentários:

JasonJr. disse...

... :D ...

Patrícia disse...

Que lindo!!!
É disso que o mundo está precisando... de gentileza, de delicadeza... de sorrir por ajudar o outro e não rir do outro... é de simplicidade...
Beijo

Noemyr Gonçalves* disse...

Que lindeza!
Eu adoro quando cenas assim invadem o meu dia :)

Beijos, Be*

Cris disse...

É por isso que adoro passar por aqui... o cotidiano se transforma, pelas palavras... doçura, gentileza, contos de fadas... minha alma fica serena... Lindo texto!

Cris disse...

É por isso que adoro passar por aqui... o cotidiano se transforma, pelas palavras... doçura, gentileza, contos de fadas... minha alma fica serena... Lindo texto!

Cris disse...

Lindo texto! É por isso que adoro passar por aqui: fico com alma leeeeve...