terça-feira, 24 de abril de 2012

Flanar

Foi na noite passada. Estava com dor de cabeça. Nenhuma posição era boa o suficiente pra dormir. O travesseiro sufocava e o ar parecia ir sumindo, sumindo. Senti dor na nuca. Uma coisa estranha. E de repente, dormi. E acho que foi aí que dei uma 'morridinha'. Do instante que passei da consciência para o sono foi tão rápido e instantâneo, de uma fração pra outra,  eu estava na minha cama e na outra fração, estava num lugar bom. Um tipo de hospital, só que com ares de casa de vó. O ar era verdinho, palpável, verde muito água e podia-se tocar nele. As paredes eram igualmente verdes abranqueadas, mas entre um espaço e outro havia um papel de parede de flores miúdas como as que brotam nos jardins das casas da vovós. Só que não era um papel de parede simplesmente, eram flores de verdade, uma coisa de uma surrealidade lírica. Brumas pelo corredor. Era um corredor largo e cheiroso, cheiro não sei de que mas muito  bom, e tudo muito simétrico, portas largas tudo tão fluído como se flanassem pelo ar verdinho e fresco e iluminado. Na entrada, duas pessoas de branco, com máscaras brancas e olhos lindamente sorridentes que não diziam nada e sem um só movimento, encaminhavam. Conduziam. A comunicação era de outra ordem. Da ordem das delicadezas mais delicadas que jamais sequer sonhei. Em cada quarto, tudo muito simétrico, harmonioso a ponto de não se saber se tratava-se o local de uma clínica ou uma linda guest house em laguma colina distante e segura. Nos quartos haviam camas com algo que parecia com a aura de um corpo. Não eram corpos, era a energia desses corpos. Muito lindo.  Muito doido. E eu estava lá. Só respirando. Respirando. Até acordar hoje pela manhã. Acordei vivinha da silva por sorte. Ainda bem, né?... mas tenho a dizer que, se morrer for carinhoso assim, creio que não há motivo pra ter tanto medo. Pareceu bem melhor que aqui. é isso.


*

Um comentário:

Maria Thereza Veloso disse...

Querida Bê, iluminada!!!
Almas nobres e elevadas reparam suas energias durante o sono, em atmosfera de Luz. Benditos sejam todos os seus adormecerem e amanhecerem.
Abençoada seja, sempre!
Obrigada por compartilhar esse Divino Repouso.
Abraços!