sábado, 31 de dezembro de 2011

Serenô!

.

Pode vir 2012
coração tá batendo arrumadinho
pra você chegar.


Feliz 2012 à todos!
s e r e n i d a d e


*

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Aceno!




Foi só quando soltaste minhas mãos
que eu percebi que elas eram minhas.



Bonitas são as mãos,
mas eram tão mais belas
quando dadas às tuas
que parece que se foi,
para nunca mais...



O que faço eu
das minhas mãos
sem as tuas
agora?
Talvez, acenar?...
Adieu!




*

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Zarpar

.

Não é a ti que eu liberto
Quando te solto,
Mas à mim,

que descubro-me capaz
e além
dos afazeres de uma
âncora...


*

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Tudo passa, tudo sempre PASSARÁ

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre, passará

A vida vem em ondas
Como
Um mar
Num ir e vir infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu a um segundo
Tudo muda
O tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo
Agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro, sempre
Como uma onda no mar

[Cançao de Lulu Santos]




FELIZ 2012!


*

Fazendo as Pazes




Preciso fazer as pazes comigo. Preciso fazer as pazes contigo. E com o destino, com a Vida, com o tempo, com tudo que deu errado e até com os meus poucos acertos. Preciso fazer as pazes com os desencontros, com as impossiblidades, com as lágrimas que chorei e com os sorrisos que não consegui me dar. Com os sorrisos que não consegui te dar. Com os carinhos guardados, com a paz que eu podia ter acrescentado, com os presentes que esqueci de comprar, e com os abraços, com todos os milhares de abraços que simplesmente me recusei a abraçar. Não foi por mal. Foi pior. Foi por descrença. Uma dolorida ferida que se recusa a fechar. Como fazer as pazes com a Esperança?...como fazê-la uma grande amiga, tão grande que seja possível aprender com ela, e a partir dela, ser alguém melhor?! O Ano Novo se aproxima e vai logo dizendo: _ CHEGA DE RECLAMAR!... faça acontecer! E eu achando 2011 severo... Eis mais um perdão a ser pedido: preciso fazer as pazes com este ano, antes que Ele termine. Fazer as pazes com toda a beleza que eu não expressei, com o otimismo que chamei de tolo, com o bom humor que tanto me aborrece. Preciso fazer as pazes com as coisas pequenas: com o passarinho que canta na minha janela, com teus sinais no céu azul quando você sai pra voar, preciso tanto fazer as pazes com você... Tanto quanto com o sol, com a chuva, com as bençãos diárias que não fui capaz de agradecer, preciso fazer as pazes com tudo a que me neguei neste ano, usando a tão miserável desculpa de que EU NÃO CONSIGO!. Eu não fiz o meu melhor. Eu não me entreguei, eu me encolhi em não-aceitações, em críticas rabugentas, eu pouco vivi. Permiti ser absorvida pelo trabalho, pelo estresse, pelo materialismo, pelo cansaço, pela tristeza, pela angústia, pelas dores, pelo meu lado mais sombrio. Mergulhei em águas turvas pra fugir da coragem, que é com quem mais quero fazer as pazes depois de você. Seria 2012 um ano de coragens? Não sei dizer porquê mas, acho que existe sincronia quando digo 'dois mil e doze e muita coragem'.... Será que a coragem me perdoa? Será que eu me perdôo? Será que você consegue me perdoar? Será que a Vida me concederá seu perdão?

Quem sabe?!...
De uma forma ou de outra, eu precisava
dizer que preciso muito FAZER AS PAZES!

*

domingo, 25 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

.

São tantos percalços,
dores, mágoas e cansaços...

Há momentos em que parece que
nunca mais será nos permitido acreditar...

É quando surge a Estrela do Natal,
que invade com seu brilho nossos olhos,
nossos corações, e reacende nossa Esperança
ao dizer,  para cada um de nós:

_ EU TAMBÉM ACREDITO EM VOCÊ!


*

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Quanto a mim...

.


QUANTO A MIM
NÃO SEI CONTAR ESTRELAS SEM VOCÊ,

MEU CÉU FICA VAZIO!


*

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Faça o pedido

.

Desafie o Destino
Suba no mais alto topo do mundo
E peça
Apenas peça com a força e a coragem
De quem ousa ultrapassar o medo

De cair, de errar, de perder, de se decepcionar

E deseja abraçar
Todos os riscos e todas
As grandezas do  a s s u s t a d o r  verbo AMAR.

[E não esqueça de então, me enviar os sinais]


*

sábado, 17 de dezembro de 2011

Eu queria saber dos sorrisos de Jesus





Eu queria saber dos sorrisos de Jesus. Queria saber quais foram as suas primeiras palavras e do que Ele gostava de brincar. Queria saber se Ele gostava de deitar na grama pra contar estrelas e se tinha pesadelos em certas noites ruins. Queria saber dos brinquedos de Jesus. Se Ele era bom em matemática e se roubava frutas nas árvores dos vizinhos junto com os outros meninos. Queria saber se Jesus corou com as suas descobertas de ser humano e se vibrou com isso. Eu queria saber das alegrias de Jesus. Quais suas comidas preferidas, se Ele gostava de abraçar as pessoas e se seu sorriso era bonito. Queria saber das suas esperanças e dos seus anseios terrestres. Se Ele tinha sonhos de visitar lugares, se as flores e o pôr do sol o faziam suspirar, queria saber se Jesus sabia nadar. Eu queria saber das palavras doces de Jesus. As que Ele usou com as pessoas comuns, no cotidiano, queria saber das suas gentilezas, da sua educação. Eu queria saber das delicadezas de Jesus. Das suas sutilezas, das milhares e milhares de frases formadas em sua jovem cabeça que não foram escritas, relatadas, que precisam ser... sonhadas. Eu queria saber oque Jesus pensava sobre o Amor, sobre os amigos, sobre o infinito, sobre os mistérios, até sobre as tristezas eu queria saber. Mais que tudo ainda, eu queria saber oque Jesus pensava sobre as mulheres. Queria que tivesse sido relatado que sua amiga mais querida foi uma mulher, que à Ela, Ele contava seus segredos e que em suas mãos também colocava a Sua História. Eu queria saber dos detalhes da vida de Jesus, porquê reza o ditado, Deus neles está, mora e se revela. Eu queria que os passos desse Menino que nasce todos os dias nos corações de gente de boa fé tivessem sido contados por mulheres embevecidas de carinho. Creio que se assim tivesse sido, os detalhes mais bonitos, não teriam sido, simplesmente, esquecidos e o aniversário do Jesus Menino talvez fosse mais lembrado como o nascimento de um Amigo e da sua Alegria, que se abre sim, a cada presente, mas se abre, sobretudo, com oque a gente carrega bem dentro do coração.



E que se faça sempre,
UM FELIZ NATAL!


*

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

É tanto que já virou tudo!

.


Então,
se dirá:
_ é certo ir diminuindo
essa gostar de tanto engano,

ao que será dito:
_ como diminui-lo,
se em mim, esse gostar
multiplica-se em oceano?


[e quem haverá de conter
um mar de amar
desse tamanho?! ]


*

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

PAIXÃO

.

Não é possível que essa tal de paixão
seja apenas um sequência de arranjos químicos
orquestrada tão somente a perpetuação da espécie e só;

Tem que ser mais do que isso!,
se bem que mesmo que fosse isso e ainda que fosse apenas
um dia vivido dentro da esfera alucinante da paixão,
ainda sim, teria valido cada segundo dela vivido.

Ter experimentado uma grande paixão
valida uma vida. Absolutamente.


*

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O som de todo Mar





O som do mar é o exemplo da perfeição. É imenso, gigante mesmo!, ininterrupto e intenso, e ao mesmo tempo, é melodioso, suave, apaziguador, quase uma cantiga. O barulho do mar é o perfeito comunicar. Quantas são as suas mensagens, seus sinais, suas metáforas... pode-se sentir a força da vida em seu vai-e-vem, sentir a pequeneza humana perante as grandiosidades verdadeiras dessa vida. Pode-se ouvir histórias de amor, náufragas em alguma garrafa de vinho branco, doce, suave, pode-se ouvir suspiros de pescadores de peixes, de gentes, de almas, de tesouros perdidos... pode-se ouvir o choro das sereias, o riso das crianças, a delícia rasgada no desfrute de um veraneio merecido, pode-se ouvir a lua cheia negociando com o oceano o movimento das marés, e pode-se ouvir um mundo estranho de seres aquáticos e coloridos de tantas formas e curiosidades que pode-se até ouvir o som de homens vestidos de preto tentando virar povo do mar..., pode-se ouvir o som das cores quando molhadas, pode-se ouvir o Sol que quando refletido com seus incontáveis raios no lençol azul de todo mar, vira menino pequeno e também se põe à brincar. São todos belos sons. Não são ruídos de um mundo que está enlouquecido com seus sinais de fumaça, tão primitivos... é o SOM absoluto. É a mistura de palavras que compõem os mais belos poemas, as cartas mais amorosas, a sequência de uma reza, a canção de uma noite estrelada, é a mistura daquilo que a mãe sussurra no ouvido do filho no berço com seu aninhar de quem confia, são bençãos são palavras, são até as mais atrevidas, são palavras de chegada, são palavras de partida, é som do choro, do riso, do gozo, do todo unido na grandeza do som do mar. Em tempos de tantas palavras e verdades discutidas, ainda sou a mesma estranha que prefere que a noite seja à caminho do mar só para ouví-lo falar, ou cantar, ou declamar a plena expressão de um som que tudo diz. Sou sem hora, sem pressa, sem rumo ou grandes vontades perante a grandeza desse falar. Sou eu deitada na areia da praia, guardada pelas estrelas ou pelo brilho do sol, aprendendo o be-a-bá desse gigante a quem humildemente tenho o prazer de amar. É tão bonito tudo isso que dá até vontade de cantar: chuá, chuá, chuá!

*

domingo, 11 de dezembro de 2011

Paraíso

.


Eu tenho um pedaço de paraíso
bem dentro de mim,

só não sei como chegar lá...


*

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Em estado Interessante

.




a gestação de uma coragem leva quanto tempo?






*

SIM

.


Sexta-feira

o dia do SIM



*

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Metaforicamente

.


Não consigo imaginar nada mais romântico na vida
do que um beijo de amor verdadeiro trocado no meio de um temporal...


[a metáfora também é válida]


*

sábado, 3 de dezembro de 2011

Believe

.

Eu queria muito dizer que acredito que tudo na vida reside no verbo
ACREDITAR, mas eu não acredito.

Isso não impede, no entanto, que quando chove demais
e eu sinto falta do sol, eu coloque um sabão na janela
pra Santa Clara clarear.

Quando clareia, eu agradeço muito crente que foi a minha simpatia,
quando não, eu me toco da minha insignificância perante os desígnios
da natureza e simplesmente aceito que não sou eu e as minhas vontadezinhas
que faremos o mundo girar pra onde Ele simplesmente tem que girar.
E volto pra chuva.


*