domingo, 31 de julho de 2011

Duas vezes oito

Se joga!

.

é disso que eu tô falando,
de paixão,de olhos que brilham, 
de gostar absurdamente,
de flutuar no ar
e de, literalmente,

SE JOGAR NO ABRAÇO!


*

A CARTA ROSA


*



*

E VOCÊ VEM...



Se você dormiu bem,
Se você comeu bem,
Se você quer o bem de uma boa pessoa,

Nessas manhãs de frio
Quando a geada pinta a grama
E o azul do céu é de uma beleza que caçoa,

Quando nada, nada
Te faria tirar o pijama
Não fosse o vento que vai lá fora
É a voz do teu Amor
Que chama agora,

E VOCÊ, VEM...


[A Banda Mais Bonita da Cidade/Uma Boa Pessoa]


*

Toma! pega ele pra você!

Então o dia nasce mais bonito.
 Para mim e para a árvore do meu jardim.
É que chove e a gente ama a chuva.
 Eu e a árvore.
 Ela pela possibilidade de
tomar posse de mais vida,

e eu, por toda vida que me chama
na promessa de um dia de chuva
mesmo sem que eu saiba como
 responder ou prosseguir,

Junto á janela,
 imagino as gotas de chuva molhando meus cabelos,
 meus passos em tua direção,
penso em nós dois
(dançando na chuva)
 e apenas suspiro:

_ Eu só queria te entregar esse dia.


*

Eu corro, para quê?


.

Digamos que é tudo uma questão de decisão. De escolha. De resolver fazer, e fazer lindamente. Quando o ser humano decide ser encantador ele é capaz de surpreender. Ele é capaz de superar as expectativas. Deve ser o compromentimento. A paixão, a devoção que aflora naturalmente na entrega de uma ação. Se o mundo pudesse andar um pouco mais lentamente, sem tantos prazos, sem tantos compromissos, sem tantas necessidades não necessárias, sem tanto apego material, sem tanto orgulho, se cada ação que fôssemos realizar pudesse ser acrescida pelo desejo de fazer oque quer que seja, belamente, capricosamente, atenciosamente, vagarosamente... então, creio que minha mente não é capaz de alcançar o quanto a palavra maravilha estaria muito mais presente em todas as vidas. A poesia seria uma constante, e arte existiria por toda parte, nas mesas bem postas, nos modos elegantes, nas palavras escolhidas, nos sorrisos delicados, na gentileza de todos os gestos, no vestir, na andar, no caminhar, na realização do trabalho feito como arte. Faltaria tempo?... ou será que tempo teria outro valor, ele existiria para a apreciação, e a pressa, seria o pecado capital. Para que afinal tanta pressa se toda pressa faz com se perca o principal ?... É que com pressa não dá. Pressa tira, rouba, limita, delimita. Pressa tolhe a liberdade e liberdade é a mão do bem fazer. Acho que o mundo é um lugar "meia boca", isso, graças às almas que caminham mais lento e conseguem fazer o encanto existir pelas mãos dos Homens, porque não fossem eles, a visão do mundo pra mim restringiría-se à um formigueiro. A pressa é burra, a pressa atrapalha tudo, robotiza e faz de uma gama inteira de atitudes, gestos, palavras, meras repetições que visam apenas, a sobrevivência. A pressa mata. A pressa me mata. A pressa me priva do que mais gosto, e eu pergunto, isso tudo em nome de quê?

Tenho tanta pressa de largar mão da pressa, que nessa pressa toda
esqueço que sou presa dessa pressa sem fim.
Para quê?


[enquanto isso, a bicicleta enferruja na garagem]


*

"Se eu corro,
eu corro demais só pra te ver, meu bem,
é que eu quero socorro, e eu corro"

*

terça-feira, 26 de julho de 2011

À Caminho

.

O caminho é o de sempre,
passa pela alameda dos teus sorrisos mais lindos,
dobra a avenida das tuas palavras mais tímidas
na altura das tuas emoções que perderam o controle,
alcança a esquina dos meus lábios com os teus,
e então,
onde você vir dois braços abertos
com um oito deitado tatuado num deles,
PODE CHEGAR

a amor só está esperando você entrar!


*

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Herméticos Momentos






Não é sempre mas, tem vezes que a sintonia com as coisas todas da vida parece um pouco mais especial. Um pouco mais intensa, um pouco mais forte, um pouco mais palpável. São momentos em que quase se pode tocar no que não se pode ver nem ouvir, pode-se apenas pressentir. Na verdade todos os sentidos parecem querer ampliar-se, alongar-se, parecem querer alcançar algo que precisa ser comunicado mas... são sensações que parecem pertencer à outra dimensão. Sente-se um perfume, um roçar, um toque, os olhos ficam abertos mas olham oque não consegue-se ver, ao menos o eu que se conhece não consegue. É tão mágico porquê parece sugerir que algo em alguma estação paralela está naquele mesmo instante, naquele mesmo pedaço de espaço, te percebendo também. E aí tudo adquire significados. O passarinho que canta na janela não é apenas o passarinho cantador, ele pode ser um seresteiro, uma alma, um sinal que conseguiu chegar... aquela luz que insiste em piscar no prédio lá longe, a tantos quarteirões de distância, demonstra uma cadência de luminosidade que parece querer sinalizar, te fazer notar... é algo como estar com os pés caminhando no chão, mas levemente, tão leve que parece que se está flutuando... e sem que se saiba ou sem que se perceba, escolhe-se uma música que sintoniza certinho com as emoções de liberdade que essas horas oferecem assim, do nada... É tão mágico... é tão BOM!!! Dá pra sentir o coração batendo diferentemente, num compasso renovado, com um vigor que avisa que haverão muitas batidas ainda, muitas aceleradas por algo que está porvir. É tão pessoal... tão particular...tão singular... e certamente, tão próprio de todo ser vivente, havendo apenas a diferença que esse estado de embriaguez sensorial às vezes é relatado e dotado de importância, e às vezes não o é . Oque não faz diferença nenhuma porquê toda a importância nessas horas resume-se ao sentir. Existiriam palavras capazes de exprimir com alguma clareza essas sensações?... Talvez elas não existam ou aconteçam para as palavras. Talvez tivessem que ser mais respeitadas e caladas, portadoras de esperança que são, mas como não sei lidar com o emocionante da vida sem que as palavras ditem o sentir, eu escrevo, certamente sem me fazer clara, mas isso também não tem importância, nessas horas a claridade e a clareza estão todas correndo atrás de um pouco mais dessas luminosas sensações.

*



Você lembra de mim? De como costumávamos ser? Você acha que deveríamos nos aproximar?



[Your Possible Pasts/ Pink Floyd]



*

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mar Aberto

.

Eu tenho um pedaço de Mar dentro de mim,
o vai-e-vem dos
meus sentimentos,
das minhas palavras,
das minhas ações,

formam a minha própria maré
alta,baixa,
dedentroprafora,
deforapradentro,

sou um pedaço de mar
que simplesmente,
deságua.


[Metáfora líquida de quem ama o mar]


*

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Eu te Amo!



.

Amigo. Amigo é Amor. Amigo, na verdade, é mais que amor, ou é oque de mais próximo podemos experimentar do amor. Amigo é conforto. É compreensão irrestrita. É parceria, cumplicidade. É de manhã, de tarde, de noite e madrugadas a dentro. Amigo é despreocupação. Amigo é aquele que nos permite jogar fora as máscaras e dar de cara com o sorriso. Sorriso de verdade. É diferente de olhar um casal apaixonado, bonitinho e coisa e tal. Se os olhos olharem ao lado, para dois amigos de verdade papeando, combinando, fofocando, desabafando, ali estará uma coisa de verdade. Uma coisa à prova de riscos. Acima das coisas pequenas. Tudo no amigo é grande. Os melhores verbos do mundo a gente conjuga com os amigos: brincar, ficar a vontade, desabrochar, chorar, devenear, curtir. Amigo é curtição. É a sem cerimônia que o romance exige. No amor a gente não pode dar bobeira. Tudo exige explicação. Com o amigo, é entendimento. Às vezes eu penso que a gente arranja romances e complicações pseudo-amorosas, só pra depois, contar tudo pra amigo e ver naqueles olhos queridos, camaradagem, cuidado, atenção, carinho dos bons. Com amigo a gente ri até das desgraças. Amigo é risada solta. Amigo é melhor que tudo. É melhor que transar. É sim!, pensa bem. Têm teorias que dizem até que, amizade é uma coisa que dá certo porque passa longe de sexo e romance, apesar de toda amorosidade contida numa relação entre amigos. Amigo não vai se encher de você se você tiver com gripe, ou com TPM, ou se você engordar, ou não estiver arrumadinha, ou ainda se você não tiver nem um pouco afim de ficar fazendo carinhas e boquinhas de sedução. Amigo não cansa. Não dá tédio na testa. Não pôe chifre. Não te deixa esperando. Sempre telefona. Às vezes, até demais... Amigo gosta de discutir todo e qualquer assunto, até a relação, que sempre vai bem, obrigada! Amigo é uma festa. É certeza de boas viagens, boas bebedeiras, ombro certo em horas incertas, é certeza de que, nunquinha da silva, você vai estar sozinho no mundo. Se o seu mundo cair, é certeza que o mundo do amigo estará lá, de braços muito abertos pra te acomodar. Amigo é bobo. E tem coisa mais esperta do mundo do que ser bobo? Os melhores programas são os bobos. Sair pra comer, pra falar pela enésima vez do mesmo assunto, pra passear no parque, contar estrelas, fumar um cigarrinho lá fora, sair pra fazer compra, no mercado, até!... Amigo é dádiva, é presente dos céus, é tesouro como já dizia aquele amigo: "quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro". Eu concordo. Não trocaria um amigo por nada desse mundo, nem mesmo pela possibilidade de um romance quente e avassalador, caso isso fosse posto em cheque. Só que tem um porém: tem que ser AMIGO. Amigo mesmo, testado, jurado e sacramentado aos pés da fidelidade, porque ao amigo é proibido trair. Num romance até pode, mas um amigo, jamais. (Certo, nunca diga nunca!) É que amigo mesmo não trai, no máximo, se engana, e de amigos, são pequenos todos os enganos. Os olhos que medem, medem sempre a menor as falhas do amigo, porque amigo é tão doce, tão bom de ter por perto, ele é força, é um lugar no mundo que é todinho seu, é brigadeiro na panela, é coca gelada, é caipirinha de todas as frutas na beira da praia, amigo é de Janeiro a Janeiro, amigo é do nascer ao pôr do sol, amigo é luz que não se apaga. Amigo é parceiro até das burradas. Amigo é direção. É norte, é sul, é céu é terra, é suor e riso, é o rosto que chora nossas lágrimas porque a nossa dor é dele também, é boca que grita nosso sucesso, porque nosso sucesso tem a ver com ele também, é aquela mão que tá sempre ali, acenando presença, acenando esperança, acenando que a vida pode ser bonita justamente por ter sido tão amiga permitindo que se encontrem os amigos. Amigo é graça, e graça a gente agradece todo dia, tentando ao máximo ir além do desfrutar, tentando, um pouquinho que seja, retribuir toda a delícia que é ter um amigo. Às vezes eu esqueço de agradecer tudo de bom que possuo na vida, mas tem uma coisa que todo sando dia, ao levantar eu agradeço: a imensa felicidade que sinto por ter um amigo exatamente assim.

Essa é pra você, Amigo!

*

domingo, 17 de julho de 2011

CHUVA



.

Já sonhei com chuva muitas vezes, mas nunca sonhei que era a chuva. Deve ser uma coisa gostosa chover. Ser água, ser fonte, fazer parte desse ballet de gotas. Às vezes usamos a expressão "desejo uma chuva de...". Preciso que chova em minha vida. Desejo muita chuva para que haja mais vida. Para começar, uma chuva de calma. Regar o terreno dos meus dias com mais calmaria.Quero meu mundo mais lento. Mais apaziguado. "Mais calma, mais alegria". Uma chuva de afetividade. Alegria e simplicidade, também. Uma chuva que clareie o meu modo de ver. Uma chuva para afastar o pó que afasta. Uma chuva que me ensine a ver além do pó. Ver por dentro. Ver mais alma. "Mais calma, mais alegria". Uma chuva libertadora. Que liberte-me dos apegos, dos desassossegos, dos julgamentos, dos medos, das ânsias. Uma chuva farta de pureza. Uma chuva de renovação, como acontece com as flores, as árvores, os pássaros, vida nova em mim, em abundância de vida. Desejo que chova e desejo ser chuva na minha vida. Nas vidas que vivem em mim, por mim, perto de mim. Purificadas e perfumadas pelas gotas que vêm do céu, seja o céu lá no alto, ou aqui dentro, ou aí dentro. Por toda parte. E depois de tanta chuva, desejo alcançar a ponta do arco-íris só para descobrir o que tem dentro do baú de tesouros que reza a lenda se encontra por lá. Ou não. Talvez eu não queira mais nada. Se eu alcançar essa chuva de bençãos: calma, alegria, simplicidade e desapego de banalidades em minha vida, creio que não precisarei mais do brilho de um tesouro que não poderá ser maior do que ser chuva de tantas graças em minha vida. Em minhas vidas. Em todas as vidas que me regam feito chuva.

Quero encontrar nas gotas da chuva,
as águas do meu destino.

*

Entende?



.

Eu, que jamais me habituarei a mim (...), que de mim só consegui foi me submeter
a mim mesma, pois sou tão mais inexorável do que eu, eu estava querendo me
compensar de mim mesma com a visão de uma terra menos confusa que eu...

[Clarice Lispector]

*

sábado, 16 de julho de 2011

Há Esperança nos caminhos de Clarice



 _ Ela, a Esperança, se esqueceu de que pode voar,
e pensa que só pode andar assim, tadinha, tão devagar...
Estaria ferida?

.........................


Você faça o favor de facilitar
o caminho da Esperança,
Ela, que mais pousa do que vive...


[Clarice Lispector]


*

Outra Pergunta

.


Serei EU um
DADO MARCADO ?...


*

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Há poesia nas perguntas de Clarice

.

Quem fez a primeira pergunta?
Quem fez o mundo?
Se foi Deus, quem fez Deus?
Quem disse a primeira palavra?
Quem chorou pela primeira vez?
Por que o sol é quente?
Por que a lua é fria?
Por que se ama?
Por que há o silêncio?
Por que eu existo?
Por que você existe?
Por que há o erro?
Por que se lê?

(...)

Por que há perguntas?
Por que não há respostas?

_ Clarice Lispector


*

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O recado da Lua

.

"Mostrar ao mundo que da dor
e desconforto se fez luz e beleza
É A DÁDIVA DESTA LUA CHEIA"

[Que assim seja!]


*

segunda-feira, 11 de julho de 2011

sábado, 9 de julho de 2011

Àgua que passarinho bebe



.

Amor é água que só passarinho bebe. Por isso eles não falam de amor, eles cantam. Na canção só há chamados de amor, de encontro, de encanto, de poesia amorosa. Falamos tanto de amor porque somos sedentos de amor, só que ao invés de beber na fonte, falamos sem parar. Amor é para a canção, não para a razão. Falamos muito em amor, talvez, porque saibamos coisa nenhuma de amor. Oque faz sentido já que, não há um amor específico para ser definido. O amor que Maria dedica à João é único, é o amor que Maria dedica à João, que certamente é muito diferente do amor que João dedica à Maria. Somos bilhões, oque pressupõe bilhões de formas de amar. Bilhões multiplicados já que um único ser pode tentar, eu disse tentar, sim, tentar amar muitas pessoas ao longe de uma vida. Vida. A vida é líquida, subjetiva, transparente, sombra e luz ao mesmo tempo. A vida é como o amor. Única em cada ser vivente, e só existe porque o ser aceitou viver. Viver e amar. Viver é amar?... Viver pode ser mágico quando se está na sintonia amorosa. Quando se tem a sorte ou a tendência de ser como passarinho. Será é que por isso que as pessoas bebem? Para tentar cantar feito pássaro? Soltar as asas, ensair vôos, aproximar o bico de outro bico e encenar o amor?!... Não só por isso, mas por isso também, por certo, assim como é certo que toda dor, todo vício, toda cena de vida gira em direção ao amor. A procura que nunca acaba. Somos sede. Somos ferida. Somos água reprimida. Somos pássaros impedidos de voar. Somos tristes. Somos a avidez do verbo desejar, mas somos também o verde, o azul, o rosa, somos esperança, somos taça vazia que aceita mais uma dose. Muitas doses. Todas as doses de amor que for possível mandar goela abaixo, porquê na verdade, viver é muito punk, e pra aguentar, haja amor!




*


[Ilustração de Joojoo Etsy]

terça-feira, 5 de julho de 2011

Faça parte!


.


Tome!
Pegue todas as flores do mundo
e se convença que, se elas existem,

também existem POR VOCÊ!


[Chega de tristeza]



*