quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Irá tudo mudar tão de repente?


.


E exatamente então ela ouve alguma coisa. É uma coisa enxuta que a deixa ainda mais seca de atenção. É um rolar de trovão seco, sem nenhuma saliva, que rola mas onde? No céu absolutamente azul, nem uma nuvem de amor. Deve ser de muito longe o trovão. Mas ao mesmo tempo vem um cheiro adocicado de elefantes grandes, e de jasmim da casa ao lado. Irá tudo mudar tão de repente?

[Clarice Lispector]


*