quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Eitha!


.

Eu me espanto com as pessoas. Na entrada do outro dia, mais espanto. Eu me espanto do nascer ao pôr do sol. Minha familiaridade com gente perde-se a cada palavra. Olho as pessoas e pergunto-me: onde está a sua verdade? Alguém fala a verdade nos dias de hoje?... ou houve algum tempo em que a verdade foi dita? Eu, não digo. Se dissesse seria banida para algum sanatório público bem decadente e talvez nem o poder públido me quisesse por lá. É que eu não entendo. Juro que tento, mas não consigo um átimo sequer de compreensão. Porque as pessoas agem estranhamento com pessoas estranhas como eu. Mas, oque é estranho? Ter os braços abertos? Um sorriso de boas vindas? Uma atenção ao que o outro tem de bom? Ser ingênuo é estranho? Não falar maledicências e querer comentar como a lua está linda? Gostar de flor, de bicho, de criança, de falar bobeiras, de livros?... Legal é oque? status, poder, superiordade, alcances sociais, e essa papagaiada toda?
Putz, bem hoje, dia das crianças fui escolher de ficar de bad, que droga!... Sei lá, tá tudo assim hoje, parece que passou um vendaval, e eu tenho tentado tanto fazer olhos de não ver para a hiprocrisia que reina no meu reino... vai ver que a minha criança de dentro, que porto com tanto carinho e cuidade para que não se machuque resolveu chorar hoje porque... é crazy, is very crazy esse mundo.
Andei falando num dia de sol que é preciso semear o caminho para que ele seja bonito, e eu semeio, eu leio, eu sonho, eu viajo, eu abraço, eu comungo, eu esqueço, eu perdôo, eu tento mesmo, mas o efeito estufa não está somente na pobrezinha camada de ozônio, está nos campos de pensamentos coletivos também , e muitas chuvas e calores fora de hora andam prejudicando não só a natureza mas principalmente as naturezas mais simples.
Mas bóra lá, né?... porque a gente não desiste nunca, a gente levanta, sacode a poeira, e volta a plantar sementes puras no coração. Até o dia que Deus quiser. Ou a gente puder.

*

6 comentários:

Mariana Pimentel. disse...

Uau, tudo o que eu descreveria sobre o que senti ontem. A sensação de não pertencer a esse lugar, e até agradecer por isso. Esperar que alguém pense e sinta do nosso jeito. "Ser ingênuo é ser estranho?" Acho que sim, viu? Mas começo a achar também que ser estranho é bom. Mesmo dando tanto trabalho! :)

Be Lins disse...

Pois é, Mariana!
de repente ser estranho
parece mesmo o único caminho,
custe isso, oque custar.

Beijo

Patrícia disse...

Eu também sou estranha. E essa música embalou esses últimos dias: http://www.youtube.com/watch?v=OaR2JeqxQDY&feature=share
O bom é que você não está sozinha!
Quem sabe se os poucos estranhos continuarem semeando...
Beijo

Vanessa_Oliveira disse...

Maravilhoso sempre ^^
Tudo passa, vamos aproveitar o q houve de bom e plantar no coração as sementes boas.
^^
Bjim***

Adriana ♣* disse...

Be...

Esse vendaval passou por aqui também... :(

Mas as sementes estão por aí... sempre!

:)

Karine disse...

O teu "estranho" faz diferença no (meu) mundo, ok?

Sabes o quão linda es :*