domingo, 5 de junho de 2011

MARTE

Quem é que define como vai ser? Você?... O pensamento repetido? A fé? O desejo mais forte de todos os desejos? Um pedido às estrelas do céu? A sua oração? Quem é que define? Quem pode entender ESSA INCESSANTE CHUVA DE ÁTOMOS ou mais simplesmente, a vida? O que eu posso decidir efetivamente?... a roupa que vou vestir hoje? Depende! Eu gostaria de vestir um biquini e um par de chinelos e ficar largadona no quintal tomando sol, mas, está um frio de lascar e eu vou vestir casacão, gorro, luva, cachecol e olhar o céu pela janela. Qualquer decisão que se tome não é independente. Não é uma escolha minha e ponto. Não posso definir que assim será, e assim será. Existe a conexão. O meu desejo pode ser o maior desejo de todo o mundo mas se ele não estiver conectado com as ondas do que vem vindo, ele será apenas, um desejo. O que eu estou tentando dizer? Creio que estou tentando dizer que não posso decidir nada aleatoriamente. É um bocado confuso. A vida e oque vamos vivendo são de fato um bocado de movimentos sutis e quem pisa rudemente sai em franca desvantagem. Temos que andar suavemente. Talvez seja isso! Passos suaves, deslizando pelas ondas magnéticas quase que despercebidamente para que nada de mal aconteça. Quem estará a salvo? Ninguém, mas uns parecem estar mais a salvo do que outros. Será o coração? Será a repetição das boas palavras que vão nos posicionando na órbita das boas sequências existenciais? Sapatos de veludo. Faço barulho demais, talvez seja isso. Sou ruidosa e pouco delicada. Meu pendão da boa esperança está sempre no limite para baixo. Eu sorrio com a boca, mas os olhos, estão sempre de prontidão. Esperam oque? O inesperado. Leia-se como inesperado, o intransponível. Como se algo pudesse ser escolhido para não se transpor. Há que se encarar oque for que se estatele à frente de nossa frágil presença. Do que se compõe o acerto? E o erro?...por que parece tão mais consistente? Não alcanço as estrelas do céu. A luz parece cada vez mais longe. O sol, está frio. As pessoas..., bem as pessoas são o sol, a lua, as estrelas que de igual forma parecem a cada dia um pouco mais distantes. Será que peguei a rota errada e sigo rumo à Marte enquanto todos cantam felizes o caminho para o céu?


_ è, deve ser isso!

*



Um comentário:

Adriana ♣* disse...

Sapatos de veludo, Be.

Acho que isso deve fazer toda a diferença...

No andar leve... suave... macio...

Mas Marte não deixa de ser uma opção!

Beijosss*