terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Na Praça Des Vosges



'Podia ir
aonde quisesse, correr
ou sentar, entrar ou sair
em suma, era livre.
Essa era a minha ILUSÃO'
ás 13 horas naquele café,

Num dia de cor muito linda
muito limpa, muito frágil

assim

como era linda, limpa e frágil
a estampa das minhas intenções.

[Toda ilusão resplandece em lilás]


*



3 comentários:

diariodumapsi disse...

Lindo, lindo, lindo!
Transcendem a sua alma e a grandiosidade do momento.
Belo poema!
Gd beijo

thie disse...

é de longe a pessoa que escreve as coisas mais delicadas que eu leio. O lilás apesar de ter um significado ligado à espiritualidade, acho que por causa de Florbela tenho sempre a impressão de tratar de amores profundos e suaves. Na verdade, aqui eu tenho a impressão de sempre estar lendo sobre amores profundos e suaves. Parabéns, Bê, e como sempre um beijo :*

Eliete disse...

"toda ilusão resplandece em lilás", lindo!
Este blog tb resplandece em lilás.bjs