terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Câmbio, responde...

.

Caríssimo Senhor Freud:

Sei que andas muito tranquilo esparradado aí pelos divãs celestiais, mas sei também que quem tem alma de investigador de almas não resiste a dar "aquela espiadinha básica". Então, se numa hora dessas estiveres com os olhos voltados para esse infantilíssimo planeta, e se ainda por mais acaso seus olhos passarem aqui pelos lados dos trópicos, poderias voltar sua atenção um pouco mais para o sul e captar uma questão dessa que vos escreve e fazer a finesse de me responder do jeito que dér?

Qual é a questão?

_ Bem , é o seguinte. Queria saber,
porquê a gente sempre reincide nos MESMOS ERROS?


[Será que ele já matou essa charada?...]


*

9 comentários:

Guilherme disse...

"Errare humanum est, perseverare diabolicum".

Adriana ♣* disse...

afff... nem me fale!

thie disse...

É, Bê, você é sim de outro mundo ^^
visitaria com o maior prazer, uma chícara de chá e conversas mil... ah, tem coisa que nem Freud explica...

Marta Maria disse...

Só te digo que aos 53 ainda continuo cometendo os mesmos erros, ou seja sempre gosto de quem não gosta de mim e vice-versa. Se um dia souber a reposta me avise ok? adoro passear pelo seu blog.

LUZIA disse...

Boa pergunta!

Michele disse...

Querida Be,

Por aqui estamos todos bem, graças a Deus!

A Clara é uma princesa, uma estrela, o amor da minha vida! ai, ai... :P

E olha, quando Freud lhe responder, por favor, repasse-me a solução para este nosso problema, ok?

Um beijo bem grande!

Patrícia disse...

Acho que é a esperança de encontrar finais diferentes...

Perséfone disse...

Posso tentar "dar uma de Freud"? Incidimos sempre no mesmo erro porque ainda não aprendemos a lição que esse erro tem para nós;

Rodrigo disse...

Uma pergunta dessas a um psicanalista?! para Freud ainda?! (acho que teria medo da resposta)
mas talvez os erros recorrentes não sejam falhas de nossas escolhas, em nossos atos exteriores, mas sim nossos sentimentos e pensamentos interiores, nossa personalidade, algum detalhe cuja a mudança tem de ser interna, e portanto mais difícil...