quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Será?


Tudo bem, eu confesso!


_ Eu tenho medo de morrer. Tenho medo de cada dor que sinto. Penso coisas que me apavoram. Mas ando olhando-as de frente. Ou tentando. Tenho outro medo também: medo que você esteja morto. Por fora ou por dentro. Ou os dois. Ou só viva para me apavorar. Ou amar. Tenho medo que nunca aja um ponto de vida onde possamos nos olhar de frente. Vida com vida. Tenho tantos medos que tenho medo até de pensar. Mas ando pensando. Busco abraçar justamente oque mais temo. É oque sugere o livro das Sombras. Ser inteiro para poder SER. Como assim? Assim, mesmo!, sem fugir da escuridão interna, sem fugir das imperfeições tão múltiplas que tanto ofuscam o brilho e a luz que possam haver. Encarar as impertinências sem lógica, como encarar você dessa forma. Como um erro, como um castigo, como uma sombra a me odiar, a querer vingar-se, transbordando lavas de ressentimentos, dores emergindo dos teus olhos tão lindos. Caminho mais complicado esse!... Enigmas que mal consigo ultrapassar a mera visão estética, sinais confusos que nem você mesmo parece-me ser capaz de explicar. Mas é o caminho. Mergulhar nas trevas dos teus sentimentos carregando apenas um candeeiro com as oito velas que achei na arca esquecida dos anos meus: uma vela branca, para o amor, uma vela azul para o perdão, uma vela verde para a renovação das energias, uma vermelha, para que o Divino não me falte, amarela para lembrar que os dias têm sol, mesmo quando ele não aparece, uma lilás, para que aja delicadeza nos passos, e duas velas rosas. Sim, rosas, querido! Porquê mesmo em meio à essa caminhada tão bruta, eu me nego a não sentir, a não ser, a não querer te envolver de toda a doçura feminina que é oquê de melhor há em mim. Será que um dia você me perdoa e passa a me ver assim?... Assim, como uma pessoa inteira.





*

3 comentários:

Camila disse...

Amei teu texto, e também confesso... TENHO MEDO DA MORTE!

Thaty disse...

Gostei da sinceridade, e vou anotar a receitinha das velas.
hehe

Espero que ele te veja como um ser inteiro, completo e único.

GRande Beijo
Thaty
Pedaços do Cotidiano

Amanda Cecilia disse...

Eu temo a morte da mente. A morte dos sentimentos mais nobres. E mesmo que a gente pretenda entender o medo que vc sente, ninguém entenderá... gostei demais do texto. Vem ver o meu?!