quarta-feira, 14 de julho de 2010

'Devaneando'

Essa mania ainda acaba me colocando em apuros, mas como resistir a mais forte das forças? Havia um poste. No meio do caminho. Eu queria luz. O desejo de luz era tamanho que quando a noite nasceu, inesperadamente, oquê vi brilhar naquele poste foi um lustre cintilante de luz. Luzes. Já não havia mais um poste. Havia um suporte elegante. Então, não havia mais uma noite escura, nem uma rua vazia perante mim, não!, havia o cenário perfeito para mais uma cena de amor. E a viagem começou. Verdadeiramente eu podia ouvir as estrelas brigando com as nuvens, mandando-as sairem da frente pois nessa noite, havia promessa de céu estrelado. E elas deixavam escapar uma canção de Debussy, que fazia meu coração acelerar gostoso. De repente, não apenas um poste, mas todos os postes da rua passaram a ostentar a beleza de lustres resplandecentes de luz. Luz cor de prata. E eu estava linda aos meus olhos. Coisa rara, ser aprovada por meus olhos bravos. E haviam os olhos dele. E os olhos dele não eram mais frios. Eram postes que portavam lustres de cristal. De luz azul. Intensas e belas luzes. Olhamo-nos demoradamente. Como nunca havia sido. Não sei se foram vinte ou trinta ou dois minutos tão longos, os mais longos de minha vida, oquê sei que tempo e espaço não existiam mais por ali. Nossos olhos refletiram tudo. Tudo para um. Tudo para outro. E assim, não havia mais ninguém no mundo. No nosso mundo. Só nossos olhos a se olharem sem mais nada de ácido ou cáustico ou apavorante. Haviam braços nos nossos olhos. Braços abertos para um abraço de toda vida. E não era mais desejo. Nem paixão. Nem coisa nenhuma nominável. Éramos apenas, e sobretudo, Nós. Nus de corpo e alma, e portando uma pureza que ultrapassava os anjos do Senhor. Eu pude ver o amor. Tocar nele. Ser o Amor. E foi tão lindo, tão real, que ao acordar, ainda portava comigo a suave sensação de pertencer ao Amor. Fim.


'Sua boca, como eu já lhe disse, é de paixão.
É através da boca que você passará a comer o mundo.'


_ Clarice Lispector, O Livro dos Prazeres


*

4 comentários:

Juliana* disse...

Nada melhor que o desejo de amar!

beijos

Juliana

Mima disse...

Livro Perfeito!

Trecho Perfeito!!

Lianto disse...

Nhacccc !


(devolução em estado de graça )

Renata Fagundes disse...

somos o que podemos VER

beijos cintilantes