terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Do You Wanna Dance?

O poder do elogio é um negócio mágico. Indiscutivelmete ele desperta sorrisos, se ele for verdadeiro, logicamente. E a gente sabe quando é, não?... Então, ocorreu o seguinte: no Sábado , eu estava na maior correria pra lá e pra cá por conta do meu trabalho, quando numa dessas idas e vindas, lá pelas seis da tarde, dou de cara com uma vizinha do prédio com quem quase nunca me encontro. Entramos juntas no elevador. O nome dela é Branca, e ela deve ter uns sessenta e poucos anos. Nos cumprimentamos educadamente, e eu, fiquei pensando uma coisa nesses segundos: _ Nossa! Como ela está elegante! Acho que deveria dizer isso à ela, mas será?... não sei se é oportuno...
Acabei achando oportuno e disse à ela, muito sinceramente: _ Como a senhora está bonita! Então, ela arregalou seus dois olhos verdes faiscantes como as esmeraldas que adornavam seus brincos, e após um sorriso imenso, falou baixinho: _ Estou indo dançar!
Começamos a rir, cúmplices, e rimos mais de gargalhar. Depois, ela pegou em meu braço delicada como só ela, e me contou como sua vida está mais alegre desde que retomou aos salões de dança, e que foi justamente a dança que a ajudou a superar umas tristezinhas teimosas que doiam demais. Suspirou, e contou-me ainda que agora, tudo que importa à ela, é justamente o AGORA, e o agora dela, é a dança. Então, tudo gira em torno, amigos de baile, roupas novas, idas frequentes ao salão, auto-estima em alta, telefonemas... Sim, telefonemas, ao chegarmos no hall do prédio, tocou o celular. Dela, o celular de Dona Branca, que, de repente, pareceu-me uma mocinha linda, confiante e adorável. Esperei para nos despedirmos. Ela desligou, e rindo de novo, disse que seu amigo estava na frente do prédio à sua espera. Sorriu ainda mais faceira e disse:
_ Ele me chama de Branquinha.
Rimos, e eu disse á ela:
_ Juízo, hein?...
Ela piscou os olhinhos, balançou suas esmeraldas, e me mandou beijinhos com suas mãos suaves. E eu? Eu voltei pra loja porque ainda tinha muitas coisas para resolver. Coube a Dona Branca ser a Cinderela do prédio, e ela o fez, lindamente.


*

8 comentários:

Dani disse...

Ahh, que fofa!

Mande minhas lembranças a Dona Branquinha! :)

Beijos

Sol Brito disse...

Quando crescer quero ser igual a dona Branca!!!

Linda!!!Manda um beijo pra ela e outro enorme pra você.

p.s: também torci pro Dourado ficar..rsrrs

vanessa disse...

.
Ai que injeção de ânimo, né mesmo?

Eu quero ficar igual à ela quando voltar a ser criança...


beijocas maninha



=)


.

thais motta ~ disse...

Que doce *--*
Fiquei com uma vontade grandona de conhecer Dona Branca :)

Um beijo , flor .

André S. Lima disse...

Fascinante! Adoro esses acasos do cotidiano.

Denise Portes disse...

Lindo seu blog, gostaria que você fosse conhecer o meu www.odeliriodabruxa.blogspot.com
Um beijo
Denise

Michele disse...

Que fofa essa Dona Branca!
Não há nada melhor do que sermos surpreendidos! E esses elogios fora de hora têm sim a capacidade de alegrar um dia, uma semana, um mês! São sempre inesquecíveis!
E de certo você ganhou uma nova amiga!
De repente, dia desses ela te convida pra conhecer o salão!


PS1: Pessoas assim, que dão a volta por cima e se superam, que correm atrás da felicidade e que pouco se importam com o rótulo da idade, sempre me inspiram. Fico contente quando vejo uma senhorinha bem vestida, de batom e unhas vermelhas, sabe? Acho até que me identifico... porque eu serei uma velhinha muito bem arrumada e saltitante! haha


PS2: Adorei seu texto sobre a simplicidade! O simples tem um valor inestimável!


:*

Gian Fabra disse...

que bonitas, vc e a Branca (de nNve).

Cinderelas são feitas de algo para sonhar... Vcs moram num castelo?
;)