quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

de.ó.erre

.

Tem certas vezes, que tudo dói tanto que nem se encolhendo toda adianta para aliviar. Procurar respostas para oquê não tem resposta, como calar perguntas que latejam com a intensidade das batidas do coração, aceleradas, descompassadas, e de certa forma, cansadas de bater e bater e bater sem porquês. Nesse momento, não faço ideia de que pedaço de mim não lateja de dor, e nessas horas, as horas irônicas resolvem passar lentas, sem pressa. Devem ser sádicas, devem ter inveja da felicidade, por isso passam tão rápido quando ela reina, e devem se divertir vendo a tristeza tomar conta, talvez, sintam-se menos infelizes por se acabarem segundo a segundo sem volta, as donas horas aliviam-se vendo a dor. Pra onde fugir se não há para onde ir, senão, "ir de escada, pra alcançar a dor"?!...


*

3 comentários:

Daniela Falcone disse...

bem ana carolina. :~

Ailмα... disse...

...
Ouvi um conselho uma vez. E o acho ótimo:
Não adianta dormir que a dor não passa (Chico Buarque)

Não sei se isso é bom ou ruim, mas igual a felicidade, a dor também faz parte da vida. E as vezes são elas que nos dão as estrelas mais bonitas!!

Tava com saudades daqui!
Beeeeiiijos*)

Serena-Cris disse...

.

Tenho escudo e uma medalhinha de São Jorge que me protegem contra todo tipo de pergunta atrevida. Dessas que grudam na gente e não quer mais soltar. O meu escudo é aquele, o da fé, dona moça!Borandá...

besos*

.