terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Ainda sobre as Noites

São quase sete horas da noite. Adoro essa hora. O calor do dia foi infernal, algo pra cima dos trinta graus, mas agora, estou em casa, todas as janelas estão abertas e pela casa corre uma brisa gostosa que vai pra lá e pra cá, beijando o rosto da gente como quem diz bem vinda. Essa noite foi engraçado. Aconteceu algo realmente inusitado comigo. Estava dormindo, normalzinha, e de repente, fui acordada com as minhas próprias risadas. Acordei no meio da noite gargalhando, pode?... Não lembro do sonho, nem de nada, só de acordar rindo muito. Foi bom e estranho. Fiz um esforço pra tentar lembrar algum detalhe, mas só consigo ouvir o som das minhas risadas. Rir é bom, né?... Tenho pessoas por perto que têm esse dom, o de saber papear entre boas risadas. É assim com meu irmão Fábio. Qualquer coisa que falemos, estamos sempre sorrindo, e não raro, gargalhando. Acho que é o prazer que desfrutamos de estar juntos. Quando ele vem me ver na loja, sinto uma coisa boa ao ver o carro estacionando. Ele entra, todo garboso como ele só, e diz: _ Oi, Boneca! Eu adoro, mas eu adoro esse jeito dele de me saudar. Não sei quando ele começou com isso, mas desde então, esse detalhe tão pequeno me faz tão feliz... Falamos sobre tudo, ele me conta seus segredos, todos, mas eu tenho certos segredos guardados que não conto nem à ele. Adoramos falar sobre a novela das nove. Yeah! a gente vê novela. E comenta depois, feito duas comadres. E rimos muito disso. Falando em novela, assisto em especial para ver o personagem chamado Miguel. Miguelito. Lindo, carismático, sorridente, apaixonado. Não deve ser por acaso, haja vista que o moço das cabaninhas poderia facilmente ser o irmão gêmeo dele, ou ele mesmo, assemelham-se muito no aspecto sedutoramente simples que portam. Temperamentos alegres são fascinantes. Quando gente assim surge em um recinto, parece que acendem-se luzes muito intensas, os olhares são atraídos, eles têm um magnetismo único. Falam as coisas mais inusitadas ou simples, de forma calorosa. Sou apaixonada por gente assim. Como o Fábio, o Miguel e o Moço das Cabanas, que agora deu de se despedir dizendo:
_ UM BEIJO DE CABANINHA EM VOCÊ.

Eu posso?!...

*

5 comentários:

Pipa. A que sonha. disse...

As coisas não estão senão cada vez melhores por aqui.
Já por lá, nem tanto.

Um beijo

renata carneiro disse...

alegria pinta qualquer pedaço, né?

beijocas!

Arco Irís disse...

:)
Que lindo!
Muito legal essa relação de amizade entre irmãos. Depois de longos e tenebrosos invernos, eu e minha irmã nos tornamos amigas. Confidentes, cúmplices. Viva a irmandade!
Meninan, eu amooooo (!!!) o Miguel. Justamente o que você descreveu. Olhar, o sorriso apaixonado, a busca pela felicidade das pessoas que ele ama. Gente assim tem um lugar especial no mundo. São essas pessoas que COLOREM o cotidiano.

ADORO seus textos. Você também é colorida :)

abraço!

andressa disse...

aaai q lindo,essas sensações são td =)

beijooos

Adriana ♣* disse...

Aiii...
Que delíciaaa essa cabaninhas...
Eu quero encontrar um moço igual esse da "cabaninha"...
Pode?
Você deixa eu querer uma cabaninha pra mim também? rsrsrs
Beijos
Adri*