quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

De Bem com a Ilusão

*

Estava pensando sobre a natureza da ILUSÃO. Efêmera, frágil, escorregadia. Sempre associa-se algo muito doído à ideia de ter sido personagem de uma ilusão. Mas tem um lado que quase nunca considera-se, talvez pelo que resta de uma ilusão estar sempre ligado à dor, mas o fato é que, dentro daqueles momentos em que se viveu uma ilusão, o fato é que tudo foi real. Pra você. Havia realidade, e felicidade, e prazer em estar vivendo aquelas coisas ilusórias. Houve a alegria de ouvir palavras e acreditá-las como verdade, houve sorrisos e suspiros advindos do que era trazido pelo vento, vindo daquela direção que se acreditava ser uma via de mão dupla. Quando estamos dentro de uma situação ilusória, não nos passa nem por um momento pela cabeça que aquilo não possa ser verdade, e portanto, vive-se aquilo como realidade. E fica-se feliz por aquele tempo em que tudo era ilusão, mas a gente não sabia. Sobra um saldo bom. Você viveu tudo aquilo, independentemente da outra pessoa ter sido honesta ou não. Houve o mergulho, houve a delícia das águas carinhosas, houve a reação da alma e do corpo, e isso, não vai embora, é da gente, e talvez seja, oque a gente mais ama nas ilusões, não oquê sentiram por nós, mas oquê nós mesmos fomos capazes de sentir. Quando acaba, vem a dor, e é meio dor de morte. É a morte de um personagem que nunca existiu a não ser dentro daquela bolha de cores chamada ilusão. Há o tempo da dor, há o tempo do luto, e o dia de continuar. A vida segue seu curso e ninguém espera por nós. Medo de novas ilusões?

_ como poderia?!... o que, nessa vida, não é ILUSÃO?


*

3 comentários:

renata carneiro disse...

há quem vá a caça de ilusões para se manter equilibrado.

ilusões também são precisas, penso eu.

beijos!

Preto e Branco - Lilian Vereza disse...

ILUSÕES NÃO PASSAM DE MENTIRAS INVENTADAS QUE QUEREMOS TANTO, TANTO ACREDITAR QUE SÃO VERDADES QUE REALMENTE SE TORNAM VERDADES!!!
É mentira quem diz que nunca se iludiu e é ilusão quem diz que nunca mentiu pra si mesmo!!!
Mto bem escrito Be, maravilhosa reflexão!!! que orgulho tenho de ti!!

Analuka disse...

Entre sonho, fantasia, ilusão, onde estão as fronteiras? Finas, frágeis, flutuantes, são os limites entre o inventado e o real, pois que tudo é permeado pelo sentir, e pelas tonalidades de nossa imaginação. Os seres que se acreditam mais "racionais" e crêem não estar sujeitos à "ilusão" também escorregam, ao se apoiar nesta certeza frágil!... pois que suas próprias certezas são, tantas vezes, verdades inventadas! Sim, concordo com a autora da linha que diz que, ao sentirmos, vivenciamos aquilo, tenha sido ou não "ilusão", pois foi "verdadeiro" para nós, ao menos, no plano do sentir, e do imaginar... Beijos pintados e alados!