segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Reminiscências Amorosas

Não sei porquê falo tanto em amor. Nem sei se acredito tanto assim na existência dele. Mas gosto de falar sobre. Acho que é porque sempre tive a ilusão da existência dele em minha vida. Não sei. Mas o certo é que o estado de paixão sempre esteve me rondando. Lembro-me da primeira vez, no jardim de infância. Eram os primeiros dias de aula. Um menino chamado João. Eu escolhi uma bicicletinha para andar, e ele olhou para mim e perguntou se eu gostaria que ele me empurasse. E sorriu. Eu disse que sim, e ele foi me empurrando devagarzinho pelo jardim. Não lembro de mais nada, só dessa cena eternizada. No coração.

Saudades do menino João.

*

Um comentário:

disse...

... e, por favor, não deixe de falar dos amores, das paixões, dos encantamentos!
São simplesmente lindos seus retratos a respeito deles.
Quem sabe, um dia, aquilo que pensara ser ilusão, não se torna realidade?!
Um beijo.