sexta-feira, 31 de julho de 2009

Sem medo de tropeçar

Tropeços não são tão graves, afinal.
São próprios dos que põem os pés na estrada,
dos que se arriscam, dos que dançam ,
dos que correm, dos que se lançam, dos que
nao têm medo de errar,
dos que têm pressa,

Pressa de viver,
Pressa de ser feliz,
Pressa de chegar a todos
os lugares ao mesmo tempo.

Tropeçar, a meu ver, é até um gesto que
merece aplausos, aplausos e coro:

_ levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.


P.S.
se ficar machucado, passa-se mertiolate, dá-se uns beijinhos, assopra e lembra que até casar, PASSA!


*

5 comentários:

Andressa disse...

Amei o texto :)

beijo queridaaaa

Day disse...

é, tropeços são inevitáveis
na jornada de quem não desiste
antes dar o primeiro passo.

basta ter equilíbrio para não cair.
E se cair, levanta: com suas próprias pernas e com a ajuda das mãos estendidas que os amigos oferecem.


minha mão está sempre aberta, Be*


beises, na minha estrela querida.

Biba disse...

Oi Bia, gostei muito do post. Me visite de vez em quando, seu link está no meu blog.

Beijos,
Carpe Diem!!

A.S. disse...

Bia...

É isso mesmo! Sacode e dá a volta por cima!


Meus beijos...

Stefânia M. disse...

adorei.

"no final dá tudo certo de algum jeito, eu me acerto, eu tropeço e não passo do chão..." (Zélia Duncan)

^^