segunda-feira, 20 de abril de 2009

Um sonho de um filme de cores

Assistir a um filme de Almodóvar é, sempre, uma experiência e tanto. "Volver" foi o filme que vi ontem, uma história bem cuidada, que mostra a força das mulheres, sua imensa capacidade de ultrapassar dificuldades, a determinação feminina e também a beleza das relações de amor familiar.
Com a estonteante Penelope Cruz no elenco, elenco esse, cativante.
Mas o bom mesmo é o espetáculo das cenas. É uma sucessão ininterrupta de imagens que poderiam ser, uma a uma, quadros a seram admirados em uma galeria. Todas, todas as cenas, sem excessão, são enquadradas numa simetria de capricho milimétrico, carregadas de cores de uma harmonia estudada, poesia saltando em cada elemento de cena, é um delírio artístico.
Claro que tudo isso já foi falado milhares de vezes, constatado em todos os cantos do mundo, mas mesmo assim, não resisti a vontade de expressar minha admiração, o filme causou-me tanto bem estar; ver todas aquelas cores, todas aquelas falas, toda aquela sensibilidade escancaradas, precisei registrar meu deleite. E também porque, nessa noite, ao deitar, sonhei um sonho de mil cores, cores de Almodóvar, como canta a Calcanhoto.
No sonho, eu sorria, sentada numa cadeira vermelha, perto de uma parede amarela, sobre um tapete de mil listras coloridas, vestindo um vestido verde de estampas de tantas flores... em frente a mim, havia um moço, vestido de preto e branco e vermelho, a pintar o meu retrato numa imensa tela de cinema. Ele pintava e sorria. Em certa altura, já não se distinguia mais, oque era tela, oque era cena, sorriam como que em espelhos.
Sonho surreal esse!...
sonho inspirado por Almodóvar,
foi um sonho inesquecível.

*

Um comentário:

a primeira estrela disse...

aamo esse filme!Almodovar é fantástico =) kika,é meu oreferido :*