sexta-feira, 17 de abril de 2009

(Saudades)

Quando acordou,
hoje,
pensou nesse
tempo de silêncio
amoroso.
Sentiu saudades
de escrever para ele
de manhã,
sentiu saudades
da alegria de ler
as palavras dele
de manhã.
Sentiu saudades da
voz dele falando de
amor, de pipas no céu.
Sentiu saudades de
dizer que o amava
tanto,
tanto,
tanto,
e de ver escrito que
ele a amava
mais,
e mais,
e mais.
Sentiu saudades
das trocas,
dos mimos,
dos recados,
dos suspiros.
Beijou o telefone,
ligou
o número dele,
só para ver algo dele
ali,
ao alcance das
suas mãos.
Lembrou das horas
que passavam juntos,
do arrepio
que atravessava
seu corpo todo,
com cada troca, com cada
intensidade
experimentada
ao lado dele.
Sentiu saudades do jeito
dele chamar por ela,
aquele jeito,
que só ele sabia,
dos seus códigos amorosos,
da batida acelerada de seu
coração
a cada contato que
tinham,
e como seu coração
era feliz por isso.
Sentiu saudades,
e foram tantas e tão
apertadas,
e tão doídas,
que quase esqueceu
que acabou,
(tudo estava tão vivo),
que aquele
"eu sou seu , você é minha",
foram apenas palavras,
e que por mais querer,
e saudades,
e pensamentos
que ela sentisse,
ainda assim,
nada adiantaria.
Agora, dela eram apenas
as saudades multiplicadas,
e o saber
que ele não era mais seu,
talvez, nunca tivesse sido,
mas que ela,
continuava ali,
tonta e apaixonadamente,
toda dele.
Dele e das saudades.
Múltiplas,
aparvalhadas,
e nada reticentes.


*

3 comentários:

Day disse...

Saudades são doídas..
sempre doídas.
Porém a algumas resta o conforto
do passado possuído.

Saudade do que nunca se teve.
Essas sim, são realmente doídas.
Não há conforto o conforto de um passado. Há apenas a dor de uma ilusão.


Be, que coisa linda e sincera.
você mostra a simplicidade de uma realidade sentida com tanto sentimento...


lindo, lindo.

Beises*

meus instantes e momentos disse...

lindo post, uma ode a saudade.
Gostei daqui.
Maurizio

Bia disse...

Obrigada, queridos.

Essas
são,
coisas que acontecem,
ou a gente imagina
que acontecem.

Saudades,
no entanto,
são de carne e osso.

Beijo, Day
Beijo, Maurizio