quinta-feira, 2 de abril de 2009

O cacto

O cacto é uma espécie estranha. Tem beleza, é certo. Mas sua beleza é rude. Agressiva.
Seus espinhos são um aviso: não se aproxime. Admire-me se quiser, mas não me toque, você vai se machucar. São frios. São resistentes. Não brotam em jardins, não são cultiváveis, são raros mas não enfeitam. São sedutores, mas perigosos, alguns, venenosos.
Preferem os desertos. Os silêncios. Os vazios. O ocasional. O efêmero. Suportam bem o calor infernal que mataria qualquer outra espécie mais frágil. Não necesitam de quase nada. Nem de água, quase. Abastecem-se de si mesmos e de suas interioridades inatingíveis.
Sentem-se superiores, e devem ser, pois duram. Resistem e perduram. O segredo de sua força estaria justamente no fato de não precisarem de nada?

Não precisam de cuidados,
Não precisam de água,
Não precisam de zelo,
Não precisam de mimos,
Não precisam de bom tempo,
Não precisam de gente,
Não precisam de nada.

Interessantes são os cactos. Interessantes e frios.
Não raro, são considerados predadores...
Não deve-se tentar tê-los como espécie de estimação, são selvagens demais, não fazem companhia, murcham em ambientes de acolhida, morrem ao toque, não exalam.
Existem para si mesmos, e lá devem ficar, reinando apenas para si mesmos e para os que deles se assemelham:

os espinhos,
a distância,
o deserto,
a solidão,
o vazio.


*

(impressões meramente pessoais baseadas em experiência com um cacto)


*

3 comentários:

Day disse...

Be, suas palavras, que só proferem a mais pura verdade, somadas ao nível de sensibilidade que me encontro nesse exato momento, me fizeram querer chorar!
Mas o nó na garganta está 'cego', não desata.

Os corações da gente, por vezes viram terra seca, propícia a cactos.Eles se aproveitam do ambiente favorável e fixam raízes.Nada que uma boa chuva de sensibilidades não resolva: fertilizando o coração de terra seca e fazendo nascer flores, folhas e frutos,encobrindo o cacto e seus espinhos cruéis.


P.S.:cactos são uma variação de sapos.

sem mais palavras.
e tenho dito!

beises
;*

Anônimo disse...

Obrigado, você me deu um nome. Prazer Senhorita, Cacto.

Bia disse...

Cada um tem
o Amor e o Cacto que merece...