segunda-feira, 20 de abril de 2009

Dos ímpetos...

Ímpetos do Bem:

Beijos roubados,
Telefonemas inesperados,
Eu te amo declarado,
Bombons devorados,
Voltas,
Perdão pedido,
Perdão concedido,
Pegar na mão,
Espiar o bonitão,
Comprar sem precisar,
Elogiar,
Mimar,
Abraçar de supetão,
Abrir o coração,
Sorrir para estranhos,
Ousar no decote,
Presentear fora de data,
Fazer faxina,
Sair para dançar,
Chorar na rua,
Ligar para ouvir a voz,
Dizer a verdade toda,
Viver...

.

Ímpetos do Mal:

Toda e qualquer atitude que vise magoar alguém.

.

É muito simples avaliar nossos ímpetos. Somos seres racionais, perfeitamente capazes de dominar nossos impulsos. Ofender, sair na porrada, dizer verdades indesejáveis, julgar, condenar, ironizar, humilhar, ficar na espreita...
São atitudes cinzas, cinza de resto de coisa queimada, que lembram destruição, caos, tristeza, lembram o vazio, o eco do intolerável.
Por ímpeto pode-se mudar tudo, amolecer um coração embrutecido, desmoronar reservas, despertar sorrisos, encher de luz o momento de alguém. Esses são os ímpetos de mil cores, que fazem das relações algo belo.
Por ímpeto, no entanto, pode-se também mudar tudo, machucar, abrir feridas desnecessárias, amedrontar, botar terror, destruir, pisar, escolhambar, derrubar...
São os ímpetos bestiais que enegrecem o mundo, minam as relações, atingindo em especial ao que ataca.
Como tudo na vida, vários são os lados, as justificativas, as razões, mas não há muito o que questionar quanto ao bem ou ao mal que nossos ímpetos podem causar em alguém ou em nós mesmos.
Por ímpeto, escrevi essas palavras, e vou classificá-lo como um ímpeto do bem, porque desejo apenas lembrar, principalmente a mim mesma, que atitudes positivas abrem alas para outras tantas positividades, lembrar que a vida é curta para perder-se tempo com tons acinzentados, que ímpetos devem ser como estrelas que pipocam no céu quando a noitinha vem chegando, e que enchem nossos olhos de renovada surpresa, que nos fazem atentar á magia de nossos existências, e , principalmente, lembrar que entre fazer alguém sorrir ou alguém chorar, não há nem oque questionar.
Sejamos impetuosos, pois, mais que sejam nossos ímpetos, conquistadores de sorrisos, fazedores de alegria, renovadores, expressões de delicadezas, leves e coloridos como pipas no céu, que sejam eles:

Beijos roubados,
Bombons devorados,
Palavras faladas,
Abraços apertados,
Rancores superados,
Alívios causados,
Sorrisos multiplicados,

cenas de brilho, luz e cor
que sejam, de preferência, ímpetos em direção ao Amor.
Ah, o Amor!...que grande aventura atirar-se aos ímpetos do Amor, mas aí o assunto já muda,
e Amor é prosa longa.

*

3 comentários:

Flor de Bela Alma disse...

Adorei isso aqui, linda menina!

Bia disse...

Vi seu post "me gusta"
e fiquei com vontade de fazer
um rol também.
Acabou saindo isso aqui,
por ímpeto.

Beijos, amora.

Danielle disse...

Muito lindo o texto.
Ameiii
Quanta sensibilidade.