domingo, 28 de setembro de 2008

O que eu sinto eu não ajo.
O que eu ajo não penso.
O que penso não sinto.
Do que sei sou ignorante.
Do que sinto não ignoro.
Não me entendo e ajo como se entendesse.

(Clarice Lispector)

................................

Se nós tivéssemos agido
poderia ser algo assim:
uma festa,
límpida,
clara,
doce,
una.

Como ignoramos
o que pensamos,
o que sentimos,
o que sabemos,
seguimos sem
festa.

Sem festa, eu,
sem festa, você,
sem festa, nós.

*

8 comentários:

Ferdinand disse...

copiei... pqp, clarice... lindo

Flor de Bela Alma disse...

Que lindo ser estrela vizinha sua...

Ana Luisa disse...

Que lindo Bia!!

Estou assim...ignorei, ignoraram-me e estou hoje sem festa.

Beijão.

~pi disse...

somos paradoxais mas podemos

melhorar?

acho que sii ii m, mesmo!

( merecer festa é trabalhar por ela! :)



~

Pequena Kah disse...

Ahh como eu amo Clarice. Sou apaixonada pelo que ela escreve.

Vim agradacer a indicação no post anterior. Obrigada mesmo Bia.

BEIJO.

Lela disse...

Querida!
Há algum tempo tenho acompanhado
o seu blog. Me encanto ao admimirar
estrelas assim, cintilantes!!!
Parabéns!

Sara disse...

Brilha, estrela...
Há tempos entro aqui, hoje resolvi comentar! :)
Beijos e bons sonhos, sempre...

Bia disse...

Ao abrir aqui,
e encontrar palavras tão
queridas,
penso que a vida até pode ser boa.

Obrigada e sejam ,
sempre,
muitíssimo,
bem-vindos!

Beijo.