domingo, 31 de agosto de 2008

Colher de Chá

Ando querendo, solicitando na verdade, uma audiência com a Dona Vida. O pedido: uma colherzinha de chá. Colherzinha, não. Uma boa colherada de chá. Uma folga, um recreio, uma lógica pra seguir, uma carinho, um algodão doce bem grandão. Não, a vida não é ruim comigo. Muito pelo contrário. Eu é que estou cansada. Cansada de ter que ser o que a gente tem que ser para viver por aí. E por aqui. E por todo lado. Na verdade, queria que a Vida desse uma colher de chá pra todo mundo à minha volta. Seríamos assim, um monte de gente de folga. Folga de intelectualidades refinadas, de posturas adequadas, de superficialismos existenciais, de joguetes, de maldade, de afetos artificiais, de tantas palavras que não dizem nada. Ás vezes penso _Caraca, será que estou só nessa ânsia por uma convivência mais simples, com mais risadas, com mais palavras soltas, com mais aceitação, com mais to-le-rân-cia, com mais abraços apertados e demorados, com mais portas abertas, com mais "eu adoro você", com mais tempo para simplicidade?...Devo estar sendo redundante, eu sei. Deve ser esse inconformismo que me ronda e não permite a devida adaptação. Por mim, a Dona Vida sairia distribuindo colheres e mais colheres de chá pra todo mundo, uma chazinho que acrescentasse mais sorrisos, mais encontros e mais delírios por esse mundo que anda , por vezes, tão chatinho. _Ah, Dona Vida, help me, please!
*

7 comentários:

Pequena Kah disse...

Acho que a Dona Vida me deu essa colherzinha de chá esses dias. Minha vida estava realmente bem "chatinha". Eu já estava inconformada comigo e com todos. Tudo estava ao contrário do que eu queria. Então acabei resolvendo dar um tempo pra mim e deixei que as coisas melhorassem. Eu tinha me acomodado e não havia reparado nisso. Eu então pude mudar e fazer somente o que eu queria, independente do que outros pudessem achar. Quero uma vida pra ser VIVIDA e não assistida por mim.

Beijos.

Ana Luisa disse...

Oie!!

Ah menina, se vc conseguir essa colherada, pase meu endereço pra Dona Vida, ok. Preciso trocar umas idéias com ela..rs. O pior de toda essa necessidade seriam os "afetos artificiais". Eles estão presentes e sabemos onde. Mas...

Bom menina, adorei seu texto.
Grande beijo.

PS. Tem presente pra vc lá na caixinha.

Ana Luisa disse...

Ops...PASSE***

Beijo.

Caróu Penna; disse...

colheres e colheres de chá que nos dê apoio e conforto..
que nos dê uma coragem e tanta de enfrentar as calamidades que sufocam nossa alma..

Bia, te gosto.

Dani Cabrera disse...

Oi Bê!
Você sempre levanta questões semelhantes às que também tenho. Sabe que também ando nessa?

Eu amo a vida Bê, amo mesmo, amo a sensação de acordar e poder dar uma boa respirada, de ir na janela ver como tá o tempo, de correr ali no quintal e ver que as flores que plantei precisam de mim, precisam que eu as regue para que continuem deixando o mundo mais bonito, mais colorido. Eu amo a vida, Bê. Mas tenho pedido uma colher-de-chá: só que pras pessoas!
Ai que chato Bê, que chato é ter que respeitar padrões que às vezes nos privam da nossa própria felicidade para que outra pessoa não se sinta agredida. E o pior ainda, é quando vc não está sendo agressora em nada, simplesmente não te aceitam como vc é. Daí vc vira um ator, um personagem, uma marionete que passou a existir pra cumprir vontades alheias às tuas, e vive duro, enrigecido, morre seco. Quero isso não. Me recuso Bê. Por isso tenho pedido uma colher de chá às pessoas! É chato ter que lembrar às pessoas que temos direito de escolha, é cortante ter que acordar alguém pra brevidade da vida, pras coisas bonitas, se tudo é tão melhor assim.
As pessoas têm se machucado demais, Bê, e têm praticamente tentado nos subjugar às suas dores.
Não sou à favor de imposições - nem para o bom, nem para o mal - por isso não imponho também minhas maneiras, digo sobre elas... quem quiser vir que venha. Quem quiser aceitar que junte-se. Quem quiser entender que entenda.

Por isso vou assim, sem medo, colecionando gentes legais como vc também parece ser, construindo (tentando ao menos) um mundo novo, uma coisa mais corajosa, mais transparente, mais expressiva.
Precisamos de verdades Bê.
Precisamos de gente que queira a mesma coisa que nós.


Mil beijos!
Queria poder ter uma colher-de-chá com o teu nome gravado.


Vamos achar!

Ana Luisa disse...

Gata, tem presente pra vc lá na caixinha....!

beijos.

Bia disse...

Meninas queridas,
suas presenças
aquecem meu coração.
Sobremaneira.

Beijo.